Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Wender Lucas Fernandes
Alcoólatra, drogado e totalmente insano, moro na infernal cidade de Palmeira Índios- AL, escrevo a pouco mais de 3 anos, sempre seguindo esse mesmo contexto, minhas inspirações vem de Bukowski, Augusto dos Anjos, Thoreau, satanás e Jesus Cristo, tento soltar uns berros numa banda de vagabundos possuidos querendo ser punks e nas horas vagas trabalho no RH de uma Prefeitura, quandonão estou possuido por demonios mundanos, tento escrever umas podreiras em um pedaço de papel.





O julgamento vem de baixo

Cercado por demônios em plena madrugada, Mauro decide sair na cidade para um rolê comum. Para em um bar e se embriagar como num dia normal. Percebendo que alguém o obervava, foi até o cidadão e perguntou-lhe o que estava olhando. O homem logo se levanta e diz: Você é o escolhido. Mauro, segurando uma risada, indaga: escolhido para o quê?

-Siga-me. Diz o homem.

Mauro vai seguindo o homem até uma casa abandonada nos fundos do bar e acha estranho, pois nunca vira aquela casa antes.

– Está pronto para o ritual?- Pergunta o homem.

Antes que Moura respondesse algo, o homem gritava: Satana-Luciferi Excelsi Introibo ad altare Domini Inferi.

Mauro logo sente um espasmo, e cai ao chão. E Enquanto caído, passava em sua cabeça todo mal que ele havia feito até aquele dia. Matava pessoas por prazer, se banhava com o sangue de suas vítimas e alimentava seus animais com os restos mortais. Lembrou também das criancinhas que estuprou e degolou. E todos os cérebros extraídos para completar sua coleção no porão de casa.

Mauro, então, se depara com dois demônios, que o arrastam para dentro da casa velha, onde se completaria o ritual.

No interior da casa, ele avista o tão estranho homem em pé fitando o chão e falando repetidamente – Domini Satannas Rex Infernus! 

fala – Ave Satana, aplica tua dor a esse homem.

Logo, vários demônios surgem ao seu lado e a tortura começa. Demônios entram por sua boca e cavam todo o seu interior até sair pelo ânus. Seus olhos esbugalhados clamam piedade enquanto o caos e a dor dominam sua mente.

– Deus, tende piedade de mim. Grita o homem

– Hahahaha! Deus esqueceu-se da humanidade há muito tempo. Diz a criatura.

De súbito, Mauro acorda no balcão do bar, e percebendo que tudo fora só um sonho, manda todos os presentes irem se fuder e corre pra casa, onde toma uma dose de cachaça, acende um cigarro e pensa em tudo que havia sonhado. Será que foi mesmo um sonho?

Páginas: 1 2

Wender Lucas Fernandes
O julgamento vem de baixo

Cercado por demônios em plena madrugada, Mauro decide sair na cidade para um rolê comum. Para em um bar e se embriagar como num dia normal. Percebendo que alguém o obervava, foi até o cidadão e perguntou-lhe o que estava olhando. O homem logo se levanta e diz: Você é o escolhido. Mauro, segurando uma risada, indaga: escolhido para o quê?

-Siga-me. Diz o homem.

Mauro vai seguindo o homem até uma casa abandonada nos fundos do bar e acha estranho, pois nunca vira aquela casa antes.

– Está pronto para o ritual?- Pergunta o homem.

Antes que Moura respondesse algo, o homem gritava: Satana-Luciferi Excelsi Introibo ad altare Domini Inferi.

Mauro logo sente um espasmo, e cai ao chão. E Enquanto caído, passava em sua cabeça todo mal que ele havia feito até aquele dia. Matava pessoas por prazer, se banhava com o sangue de suas vítimas e alimentava seus animais com os restos mortais. Lembrou também das criancinhas que estuprou e degolou. E todos os cérebros extraídos para completar sua coleção no porão de casa.

Mauro, então, se depara com dois demônios, que o arrastam para dentro da casa velha, onde se completaria o ritual.

No interior da casa, ele avista o tão estranho homem em pé fitando o chão e falando repetidamente – Domini Satannas Rex Infernus! 

fala – Ave Satana, aplica tua dor a esse homem.

Logo, vários demônios surgem ao seu lado e a tortura começa. Demônios entram por sua boca e cavam todo o seu interior até sair pelo ânus. Seus olhos esbugalhados clamam piedade enquanto o caos e a dor dominam sua mente.

– Deus, tende piedade de mim. Grita o homem

– Hahahaha! Deus esqueceu-se da humanidade há muito tempo. Diz a criatura.

De súbito, Mauro acorda no balcão do bar, e percebendo que tudo fora só um sonho, manda todos os presentes irem se fuder e corre pra casa, onde toma uma dose de cachaça, acende um cigarro e pensa em tudo que havia sonhado. Será que foi mesmo um sonho?

Páginas: 1 2