Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Wender Lucas Fernandes
Humano podre, escritor maldito e alcoólatra degenerado. Moro na infernal cidade de Palmeira dos Índios- AL, escrevo desde 2014, meus companheiros de porre são Augusto dos Anjos (que me ensinou a necessidade inevitável que o homem tem de ser fera, diante dessa sociedade doentia e acabada) Charles Bukowski (Que me ensinou que o pior problema que um homem pode ter, é estar sóbrio) e Thoreau (Que me ensinou a desconfiar de qualquer atividade que requeira roupa nova). Casado com a insanidade, amante da tosqueira e inimigo da sociedade,tento passar alguns pensamentos aleatórios para um pedaço de papel.





O mistério da casa 366

Em um bairro qualquer de uma cidade podre, havia uma antiga casa que exalava um ar sombrio e muito perturbador para os moradores da região. Os donos não iam lá a anos e a casa estava totalmente entregue ao lixo e ao abandono. Algumas pessoas diziam ouvir vozes vinda da casa, e já teve até relatos de vizinhos que viram duas crianças correndo no quintal.

Certo dia passando pela frente da casa, Paulo decide olhar mais de perto o interior e com a força da curiosidade humana, decide pular o muro da casa. Ao entrar é recebido pelas duas criancinhas que logo correm em direção ao quintal da casa, curioso, Paulo segue as criancinhas para olhar o que acontecia ali, ao chegar ele se depara com um espaço agradável, muitas árvores e um ar puro e calmo circula naquele ambiente.

Começando a desacreditar em todos os boatos sobre a casa, Paulo decide encostar em uma árvore e tirar um cochilo, o tempo passou e ao acordar já havia escurecido. Ao abrir os olhos, Paulo se depara com um verdadeiro caos. Pessoas enforcadas, cabeças degoladas, um cenário de dor e tortura predominava aquele lugar, as arvores repletas de corpos pendurados e cadáveres espalhados por toda a casa.

Tomado pelo medo, Paulo sai correndo até o muro dos fundos da casa, ao pular, ele cai num cemitério antigo que também fazia parte da casa. Túmulos de diversos tipos e tamanhos enfeitavam aquele lugar, logo, as duas crianças aparecem e convidam Paulo a fazer parte da casa, em uma fração de segundos as vísceras de Paulo começam a descer por suas pernas e com um grito agonizante, Paulo é suspenso por uma corda e passa a fazer parte do pé de cadáveres presente na casa.

Quatro viciados iam passando pelo local e ouviram os gritos de Paulo. Assustados, decidiram pular o muro da assombrosa casa. Ao chegar viram Paulo suspenso por uma corda e suas tripas penduradas e ao seu lado duas criancinhas com vestido azul observavam tudo. Um enorme buraco se abre no chão e uma criatura enorme surge.

Sem saber o que fazer os viciados se escondem atrás de uma das árvores e observam tudo de lá

– Demônios infernais, levantem para a grande festa! -Diz a criatura.

Os túmulos começam a se abrir e corpos mutilados começam a sair de dentro deles, um ritual macabro se forma naquele lugar e tudo passa a ficar em chamas.

– Apareçam Humanos, Juntem-se a nós!

Um dos viciados, que atende por Carlos aparece e com uma voz fraca e amedrontada pergunta:

– O que está acontecendo aqui?

– Aqui é o portal para o inferno! – Responde a criatura.

– Quem é você?

– Eu sou Belial, rei do inferno e do caos na terra. Hahahahaha!

Páginas: 1 2

Wender Lucas Fernandes
O mistério da casa 366

Em um bairro qualquer de uma cidade podre, havia uma antiga casa que exalava um ar sombrio e muito perturbador para os moradores da região. Os donos não iam lá a anos e a casa estava totalmente entregue ao lixo e ao abandono. Algumas pessoas diziam ouvir vozes vinda da casa, e já teve até relatos de vizinhos que viram duas crianças correndo no quintal.

Certo dia passando pela frente da casa, Paulo decide olhar mais de perto o interior e com a força da curiosidade humana, decide pular o muro da casa. Ao entrar é recebido pelas duas criancinhas que logo correm em direção ao quintal da casa, curioso, Paulo segue as criancinhas para olhar o que acontecia ali, ao chegar ele se depara com um espaço agradável, muitas árvores e um ar puro e calmo circula naquele ambiente.

Começando a desacreditar em todos os boatos sobre a casa, Paulo decide encostar em uma árvore e tirar um cochilo, o tempo passou e ao acordar já havia escurecido. Ao abrir os olhos, Paulo se depara com um verdadeiro caos. Pessoas enforcadas, cabeças degoladas, um cenário de dor e tortura predominava aquele lugar, as arvores repletas de corpos pendurados e cadáveres espalhados por toda a casa.

Tomado pelo medo, Paulo sai correndo até o muro dos fundos da casa, ao pular, ele cai num cemitério antigo que também fazia parte da casa. Túmulos de diversos tipos e tamanhos enfeitavam aquele lugar, logo, as duas crianças aparecem e convidam Paulo a fazer parte da casa, em uma fração de segundos as vísceras de Paulo começam a descer por suas pernas e com um grito agonizante, Paulo é suspenso por uma corda e passa a fazer parte do pé de cadáveres presente na casa.

Quatro viciados iam passando pelo local e ouviram os gritos de Paulo. Assustados, decidiram pular o muro da assombrosa casa. Ao chegar viram Paulo suspenso por uma corda e suas tripas penduradas e ao seu lado duas criancinhas com vestido azul observavam tudo. Um enorme buraco se abre no chão e uma criatura enorme surge.

Sem saber o que fazer os viciados se escondem atrás de uma das árvores e observam tudo de lá

– Demônios infernais, levantem para a grande festa! -Diz a criatura.

Os túmulos começam a se abrir e corpos mutilados começam a sair de dentro deles, um ritual macabro se forma naquele lugar e tudo passa a ficar em chamas.

– Apareçam Humanos, Juntem-se a nós!

Um dos viciados, que atende por Carlos aparece e com uma voz fraca e amedrontada pergunta:

– O que está acontecendo aqui?

– Aqui é o portal para o inferno! – Responde a criatura.

– Quem é você?

– Eu sou Belial, rei do inferno e do caos na terra. Hahahahaha!

Páginas: 1 2