O mistério de Baara - Wender Lucas Fernandes
Wender Lucas Fernandes
Humano podre, escritor maldito e alcoólatra degenerado. Moro na infernal cidade de Palmeira dos Índios- AL, escrevo desde 2014, meus companheiros de porre são Augusto dos Anjos (que me ensinou a necessidade inevitável que o homem tem de ser fera, diante dessa sociedade doentia e acabada) Charles Bukowski (Que me ensinou que o pior problema que um homem pode ter, é estar sóbrio) e Thoreau (Que me ensinou a desconfiar de qualquer atividade que requeira roupa nova). Casado com a insanidade, amante da tosqueira e inimigo da sociedade,tento passar alguns pensamentos aleatórios para um pedaço de papel.





O mistério de Baara

Um belo dia um jovem chamado Gabriel entrou na casa de Baara para ver o que acontecia dentro da misteriosa casa, onde ninguém além de Baara jamais saia, o jovem vê a garota no ato de mais um assassinato, onde ela está esquartejando mais sua vítima, cometendo um vacilo o jovem derruba uma faca, chamando a atenção de Baara, a moça com uma gargalhada estridente joga um machado na cabeça de Gabriel, cravando sem dó no cérebro do jovem, Baara fica assustada com a invasão e decide abandonar a casa, pega seus mantimentos, alguns bifes e some da cidade.

Com o tempo, o mau cheiro impregna no ambiente, os moradores da redondeza incomodados com o mau cheiro decidem entrar na casa para ver o que está acontecendo, e ao chegar se deparam com um caos lá dentro. Tripas espalhadas pela casa, sangue por todas as paredes, cabeças rolando, olhos espalhados e a cabeça do jovem Gabriel pendurada no alto da parede da casa, com os olhos esbugalhados e a língua pra fora, e abaixo na parede escrito com sangue, estava:

Meu legado continua…

 

Páginas: 1 2

Wender Lucas Fernandes
O mistério de Baara

Um belo dia um jovem chamado Gabriel entrou na casa de Baara para ver o que acontecia dentro da misteriosa casa, onde ninguém além de Baara jamais saia, o jovem vê a garota no ato de mais um assassinato, onde ela está esquartejando mais sua vítima, cometendo um vacilo o jovem derruba uma faca, chamando a atenção de Baara, a moça com uma gargalhada estridente joga um machado na cabeça de Gabriel, cravando sem dó no cérebro do jovem, Baara fica assustada com a invasão e decide abandonar a casa, pega seus mantimentos, alguns bifes e some da cidade.

Com o tempo, o mau cheiro impregna no ambiente, os moradores da redondeza incomodados com o mau cheiro decidem entrar na casa para ver o que está acontecendo, e ao chegar se deparam com um caos lá dentro. Tripas espalhadas pela casa, sangue por todas as paredes, cabeças rolando, olhos espalhados e a cabeça do jovem Gabriel pendurada no alto da parede da casa, com os olhos esbugalhados e a língua pra fora, e abaixo na parede escrito com sangue, estava:

Meu legado continua…

 

Páginas: 1 2