Obituário - Wender Lucas Fernandes
Wender Lucas Fernandes
Humano podre, escritor maldito e alcoólatra degenerado. Moro na infernal cidade de Palmeira dos Índios- AL, escrevo desde 2014, meus companheiros de porre são Augusto dos Anjos (que me ensinou a necessidade inevitável que o homem tem de ser fera, diante dessa sociedade doentia e acabada) Charles Bukowski (Que me ensinou que o pior problema que um homem pode ter, é estar sóbrio) e Thoreau (Que me ensinou a desconfiar de qualquer atividade que requeira roupa nova). Casado com a insanidade, amante da tosqueira e inimigo da sociedade,tento passar alguns pensamentos aleatórios para um pedaço de papel.





Obituário

Wender Lucas está morto!

Aqui jaz suas ultimas palavras

Palavras essas escritas em vida

Muito tempo antes de sua ida

 

O inferno no mundo espreita

A cada dia uma desesperança

A paz, se um dia viveu, morreu

Somente o caos prevaleceu

 

Aos amigos deixo minha gratidão

Aos inimigos desejo vida longa

Para em meio ao caos viver

E aos prantos, na sarjeta, morrer

 

A minha família não desejo nada

Apenas que tudo se esvaia

Que a desesperança alimente suas vidas

E os acompanhem até a permanente ida

 

Se saudades eu puder sentir

Sentirei dos dias de glória

Dias esses guardados na memória

Que ficaram comigo até partir

 

E se o remorso agora te bate

Saibas que já é muito tarde

Talvez um dia eu te visite um pouco

Mas nesse momento, Wender Lucas está morto!

Wender Lucas está morto!

Aqui jaz suas ultimas palavras

Palavras essas escritas em vida

Muito tempo antes de sua ida

 

O inferno no mundo espreita

A cada dia uma desesperança

A paz, se um dia viveu, morreu

Somente o caos prevaleceu

 

Aos amigos deixo minha gratidão

Aos inimigos desejo vida longa

Para em meio ao caos viver

E aos prantos, na sarjeta, morrer

 

A minha família não desejo nada

Apenas que tudo se esvaia

Que a desesperança alimente suas vidas

E os acompanhem até a permanente ida

 

Se saudades eu puder sentir

Sentirei dos dias de glória

Dias esses guardados na memória

Que ficaram comigo até partir

 

E se o remorso agora te bate

Saibas que já é muito tarde

Talvez um dia eu te visite um pouco

Mas nesse momento, Wender Lucas está morto!