Homo Omni - William Fontana
William Fontana
Pseudônimo de Gerson M.A. fotógrafo, contista, novelista, ensaísta, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com dupla excepcionalidade, superdotado (Qi 163) e cristão, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais 35 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil, Revista Literomancia, nas antologias Arte do Terror, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018) e 'Império de Tendor' (2019) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 30 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).






Homo Omni

          Ao acordar no dia seguinte e muitas horas depois fitei o vazio do quarto onde estava, e uma suave chuva batia contra a janela fazendo descer gotículas pelo vidro. Fitei aquilo por algum tempo com a mente vazia quando desejei fugir naquele momento. Por coincidência ao olhar para a porta observei que ela estava entre aberta. Tirei as amarras sem esforço quando me levantei e caminhei pelo corredor sorrateiro ao me esgueirar entre as trêmulas luzes de vela como se tivesse faltado luz.

          Caminhei agachado por muitos metros até fitar a sala da Doutora Sohpia Aurea que parecia conversar com outro doutor. O que ouvi me deixou estupefato.

          — A projeção de seus pensamentos na realidade exterior estão aumentando a intensidade. — Comentou o doutor que na realidade dei-me conta se tratar de um físico. — O surto psicótico projetado faz de alguma forma imanar energia e partículas do vácuo quântico ao mundo real, dando lugar a matéria em qualidades de realidade diferentes emergindo na nossa realidade. Há alguns níveis de realidade dessas projeções que extrapolam a ilusão sendo tão reais quanto nós. É como se ele tivesse um universo dentro de si sendo expelido.

          Como aquilo poderia ser possível? Para eles a diferença da qualidade da projeção de pensamentos difiniria uma ilusão de realidades sobrepostas como se da mente dele imanasse um universo interior ao exterior. Ouvi aquilo perplexo quando então a doutora interrompeu e continuou.

          — Por enquanto essas projeções estão sobre controle, mas hoje achei que iria matar o enfermeiro.

          — O alcance das projeções mentais tem oscilado muito, sendo menores num ponto, mas agora tendo ido além dos limites do hospital. Ele parece ser mais poderoso que a mãe dele.

          — Talvez por ter sido fruto das próprias alterações na realidade. — Respondeu a doutora perplexa.

          De repente me lembrei, minha mãe havia ficado grávida de verdade apenas por desejar ter um filho sem saber que seu filho se tornaria um dos mais poderosos projetores de realidade gerando pensamento projetados, com um poder nunca visto dentre todos os ‘Homo Omni’.

Páginas: 1 2 3 4

William Fontana
Homo Omni

          Ao acordar no dia seguinte e muitas horas depois fitei o vazio do quarto onde estava, e uma suave chuva batia contra a janela fazendo descer gotículas pelo vidro. Fitei aquilo por algum tempo com a mente vazia quando desejei fugir naquele momento. Por coincidência ao olhar para a porta observei que ela estava entre aberta. Tirei as amarras sem esforço quando me levantei e caminhei pelo corredor sorrateiro ao me esgueirar entre as trêmulas luzes de vela como se tivesse faltado luz.

          Caminhei agachado por muitos metros até fitar a sala da Doutora Sohpia Aurea que parecia conversar com outro doutor. O que ouvi me deixou estupefato.

          — A projeção de seus pensamentos na realidade exterior estão aumentando a intensidade. — Comentou o doutor que na realidade dei-me conta se tratar de um físico. — O surto psicótico projetado faz de alguma forma imanar energia e partículas do vácuo quântico ao mundo real, dando lugar a matéria em qualidades de realidade diferentes emergindo na nossa realidade. Há alguns níveis de realidade dessas projeções que extrapolam a ilusão sendo tão reais quanto nós. É como se ele tivesse um universo dentro de si sendo expelido.

          Como aquilo poderia ser possível? Para eles a diferença da qualidade da projeção de pensamentos difiniria uma ilusão de realidades sobrepostas como se da mente dele imanasse um universo interior ao exterior. Ouvi aquilo perplexo quando então a doutora interrompeu e continuou.

          — Por enquanto essas projeções estão sobre controle, mas hoje achei que iria matar o enfermeiro.

          — O alcance das projeções mentais tem oscilado muito, sendo menores num ponto, mas agora tendo ido além dos limites do hospital. Ele parece ser mais poderoso que a mãe dele.

          — Talvez por ter sido fruto das próprias alterações na realidade. — Respondeu a doutora perplexa.

          De repente me lembrei, minha mãe havia ficado grávida de verdade apenas por desejar ter um filho sem saber que seu filho se tornaria um dos mais poderosos projetores de realidade gerando pensamento projetados, com um poder nunca visto dentre todos os ‘Homo Omni’.

Páginas: 1 2 3 4