Homo Omni - William Fontana
William Fontana
Pseudônimo de Gerson M.A. fotógrafo, contista, novelista, ensaísta, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com dupla excepcionalidade, superdotado (Qi 163) e cristão, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais 35 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil, Revista Literomancia, nas antologias Arte do Terror, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018) e 'Império de Tendor' (2019) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 30 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).






Homo Omni

          Mal conseguia acreditar naquilo quando repentinamente lembre-me de tudo mais, do que eu mesmo me fiz esquecer pois acreditava que pensar ser uma pessoa normal assim seria. Tudo aquilo era um ardil criado por minha própria mente afim de tentar compreender-me e por limites a mente mais poderosa conhecida. Fora então que eles perceberam minha presença e se levantaram assustados vindo em minha direção. O físico então comentou.

          — Não se preocupe, ele não está criado nenhuma alucinação!

          Mas era tardio o clamor dele, pois a doutora gritou socorro aos enfermeiros e quando me dei conta de estava sim tendo mais uma projeção de meus pensamentos, eles próprios, os doutores e os enfermeiros, assim como todo o hospital fora uma criação de minha mente numa tentativa de cessar seus efeitos no meu mundo, pois tudo que mais ansiava era ser normal.

          A doutora veio em minha direção quando então ela se deu conta que desaparecia e assim soube que ela mesma era um fato originado em minha mente transcendente os tornados a inexistência da única fonte de realidade e vida possível como divindade que parecia ser. A doutora ficou assustada ao perceber que ela mesma havia advindo de minha mente, como poderia se ela se lembrava de toda uma vida?

 

Páginas: 1 2 3 4

William Fontana
Homo Omni

          Mal conseguia acreditar naquilo quando repentinamente lembre-me de tudo mais, do que eu mesmo me fiz esquecer pois acreditava que pensar ser uma pessoa normal assim seria. Tudo aquilo era um ardil criado por minha própria mente afim de tentar compreender-me e por limites a mente mais poderosa conhecida. Fora então que eles perceberam minha presença e se levantaram assustados vindo em minha direção. O físico então comentou.

          — Não se preocupe, ele não está criado nenhuma alucinação!

          Mas era tardio o clamor dele, pois a doutora gritou socorro aos enfermeiros e quando me dei conta de estava sim tendo mais uma projeção de meus pensamentos, eles próprios, os doutores e os enfermeiros, assim como todo o hospital fora uma criação de minha mente numa tentativa de cessar seus efeitos no meu mundo, pois tudo que mais ansiava era ser normal.

          A doutora veio em minha direção quando então ela se deu conta que desaparecia e assim soube que ela mesma era um fato originado em minha mente transcendente os tornados a inexistência da única fonte de realidade e vida possível como divindade que parecia ser. A doutora ficou assustada ao perceber que ela mesma havia advindo de minha mente, como poderia se ela se lembrava de toda uma vida?

 

Páginas: 1 2 3 4