Necroína- Final - William Fontana
William Fontana
Pseudônimo de Gerson M.A. fotógrafo, contista, novelista, ensaísta, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com dupla excepcionalidade, superdotado (Qi 163) e cristão, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais 35 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil, Revista Literomancia, nas antologias Arte do Terror, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018) e 'Império de Tendor' (2019) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 30 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).






Necroína- Final

            — Como, como podem saber que estamos aqui? — Indaguei temerário.

            O fato é que Roberta enquanto falava com o atendimento do hotel a ligação da polícia apenas tocava sem resposta e atendimento. Até que o homem do hotel enviou dois seguranças até a porta e ao abrirmos nada vimos. Estupefatos com aquilo sentimos profundo medo como se a assombração desencarnada das almas profanas da impiedade pudessem ter vindo atrás de nós. Sem saber o que fazer apenas nos tornamos testemunhas incólumes do que não se prestava aos tribunais, pois no dia seguinte notícias decretavam o início do fim de tal formidável descoberta do jazido Dr. Bennet enquanto o culto preparava secretamente mecanismos para o tráfico daquela droga tal como com a cromoína. Estávamos contemplando o começo de uma narcocracia onde mesmo aqueles agora traficantes pagãos dominam uma complexa rede que incluía de juízes corruptos a policiais.

 

Páginas: 1 2 3

William Fontana
Necroína- Final

            — Como, como podem saber que estamos aqui? — Indaguei temerário.

            O fato é que Roberta enquanto falava com o atendimento do hotel a ligação da polícia apenas tocava sem resposta e atendimento. Até que o homem do hotel enviou dois seguranças até a porta e ao abrirmos nada vimos. Estupefatos com aquilo sentimos profundo medo como se a assombração desencarnada das almas profanas da impiedade pudessem ter vindo atrás de nós. Sem saber o que fazer apenas nos tornamos testemunhas incólumes do que não se prestava aos tribunais, pois no dia seguinte notícias decretavam o início do fim de tal formidável descoberta do jazido Dr. Bennet enquanto o culto preparava secretamente mecanismos para o tráfico daquela droga tal como com a cromoína. Estávamos contemplando o começo de uma narcocracia onde mesmo aqueles agora traficantes pagãos dominam uma complexa rede que incluía de juízes corruptos a policiais.

 

Páginas: 1 2 3