Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Adriano Besen
Adriano Besen
Natural de Florianópolis (Santa Catarina)
Autor do livro infantil: A história de uma galinha
Foi colunista do jornal O Tropeiro
Publicado em Antologias, revistas, jornais, blogs e sites.
Escritor e Músico.
Pesquisador e Aventureiro.
Contador de histórias.
Apaixonado por livros.

Facebook: https://www.facebook.com/adriano.besen.7
Instagram: @adrianobesen






A CAVERNA DAS FEITICEIRAS

Quando o homem saiu de dentro da caverna, toda a região estava tomada por um denso nevoeiro que não lhe permitia enxergar para onde ir, era assustador. Desnorteado e querendo sair do local o mais rápido possível, o homem se perdeu e acabou caindo em um penhasco. Seu corpo foi encontrado no dia seguinte por pescadores que passavam de barco, margeando o costão. Os moradores da vila ficaram chocados e a morte do homem foi atribuída às bruxas.

Desde então, o lugar passou a ser chamado de Trilha das Feiticeiras e mais ninguém tinha coragem de transitar por lá. A notícia chegou ao conhecimento da “Santa Inquisição” que enviou até a vila, um jovem padre, para que resolvesse o caso. A comunidade acreditava piamente que somente um padre pudesse expulsar de uma vez por toda a presença do mal. Quando o jovem padre chegou à vila, quis logo ir até a Caverna das Feiticeiras para observar o local. Um morador o acompanhou pela trilha. Ao chegar próximo da caverna, uma tempestade se formou. Raios e relâmpagos cortavam o céu, começou uma chuva muito forte. O padre e o homem que o acompanhava precisaram se abrigar dentro da caverna.

Enquanto os dois esperavam a tempestade passar, o padre decidiu fazer uma oração no local. Assim que terminou a oração, estranhamente parou de chover e os dois retornaram para a vila. O padre não comentou com o homem, mas havia sentido uma energia sombria naquele lugar. Sua intenção era voltar lá no dia seguinte, estava determinado a descobrir o que acontecia naquele lugar. Já na vila, o padre conversou com moradores que relataram todos os acontecimentos macabros relacionados com a Trilha e a Caverna das Feiticeiras.

Naquela noite, o padre estava jantando na hospedaria da vila quando se ouviu gritos pela rua. Ao sair para ver o que estava causando aquele alvoroço, as pessoas apontavam para a floresta e o padre pode presenciar a esfera da luz vermelha se movimentando pela trilha. Imediatamente o corajoso padre decidiu que iria até lá. Os moradores o aconselharam a não ir, pois era perigoso. Mesmo assim, o padre pegou seu crucifixo, sua bíblia, uma pequena garrafa com água benta, colocou em uma bolsa e com um lampião na mão, correu para a trilha. Ninguém teve coragem de acompanha-lo.

O padre logo adentrou na trilha e se embrenhou na floresta. As pessoas ficaram olhando; aflitas. A esfera da luz vermelha desapareceu. O silêncio foi subitamente quebrado pelos gritos do padre. Eram gritos de dor, de desespero, de pavor. Novamente houve um breve silêncio, até que todos na vila ouviram as gargalhadas das bruxas. Parecia estar vindo de todas as partes da floresta. Os homens da vila resolveram pôr um fim naquele drama de uma vez por todas; além disso, precisavam socorrer o padre.

Com tochas acessas nas mãos, os homens se armaram com carabinas, garruchas e espadas; estavam determinados a entrar na trilha para por um fim naquele assédio maligno. Ao entrarem na trilha, um denso nevoeiro tomou conta de toda a região. Não se podia ver nada nem na trilha e nem na vila. As tochas se apagaram. Ouviam-se somente os gritos de pânico dos homens, enquanto as mulheres e crianças na vila eram tomadas pelo pavor. Algo os atacava sem piedade. As bruxas. Todos os homens da vila foram mortos naquela noite.

As mulheres da vila se refugiaram na hospedaria com as crianças. Por causa do medo, ninguém dormiu aquela noite. Quando amanheceu, as mulheres foram atrás dos homens na trilha e não encontraram. Decidiram ir até a caverna e o que viram lá, foi assustador. Os corpos estavam dentro da caverna, os olhos e os corações dos homens e do padre haviam sido arrancados.

As bruxas tinham exterminado todos os homens da vila. As mulheres entenderam que por algum motivo misterioso, os homens não eram bem vindos naquele lugar. Os meninos, seus filhos, foram mandados para outras cidades e na vila, só ficaram as mulheres… Desde então, passaram a viver isoladas. Formaram uma comunidade fechada, só de mulheres. Não aceitavam a presença de homens na vila; e foi assim, que as bruxas a deixaram em paz. Após esse fatídico massacre, não houve relatos de qualquer manifestação das bruxas na região; mas dizem que até hoje, se algum homem ousou entrar na trilha ou na Caverna das Feiticeiras, jamais voltou.

Páginas: 1 2

Adriano Besen
A CAVERNA DAS FEITICEIRAS

Quando o homem saiu de dentro da caverna, toda a região estava tomada por um denso nevoeiro que não lhe permitia enxergar para onde ir, era assustador. Desnorteado e querendo sair do local o mais rápido possível, o homem se perdeu e acabou caindo em um penhasco. Seu corpo foi encontrado no dia seguinte por pescadores que passavam de barco, margeando o costão. Os moradores da vila ficaram chocados e a morte do homem foi atribuída às bruxas.

Desde então, o lugar passou a ser chamado de Trilha das Feiticeiras e mais ninguém tinha coragem de transitar por lá. A notícia chegou ao conhecimento da “Santa Inquisição” que enviou até a vila, um jovem padre, para que resolvesse o caso. A comunidade acreditava piamente que somente um padre pudesse expulsar de uma vez por toda a presença do mal. Quando o jovem padre chegou à vila, quis logo ir até a Caverna das Feiticeiras para observar o local. Um morador o acompanhou pela trilha. Ao chegar próximo da caverna, uma tempestade se formou. Raios e relâmpagos cortavam o céu, começou uma chuva muito forte. O padre e o homem que o acompanhava precisaram se abrigar dentro da caverna.

Enquanto os dois esperavam a tempestade passar, o padre decidiu fazer uma oração no local. Assim que terminou a oração, estranhamente parou de chover e os dois retornaram para a vila. O padre não comentou com o homem, mas havia sentido uma energia sombria naquele lugar. Sua intenção era voltar lá no dia seguinte, estava determinado a descobrir o que acontecia naquele lugar. Já na vila, o padre conversou com moradores que relataram todos os acontecimentos macabros relacionados com a Trilha e a Caverna das Feiticeiras.

Naquela noite, o padre estava jantando na hospedaria da vila quando se ouviu gritos pela rua. Ao sair para ver o que estava causando aquele alvoroço, as pessoas apontavam para a floresta e o padre pode presenciar a esfera da luz vermelha se movimentando pela trilha. Imediatamente o corajoso padre decidiu que iria até lá. Os moradores o aconselharam a não ir, pois era perigoso. Mesmo assim, o padre pegou seu crucifixo, sua bíblia, uma pequena garrafa com água benta, colocou em uma bolsa e com um lampião na mão, correu para a trilha. Ninguém teve coragem de acompanha-lo.

O padre logo adentrou na trilha e se embrenhou na floresta. As pessoas ficaram olhando; aflitas. A esfera da luz vermelha desapareceu. O silêncio foi subitamente quebrado pelos gritos do padre. Eram gritos de dor, de desespero, de pavor. Novamente houve um breve silêncio, até que todos na vila ouviram as gargalhadas das bruxas. Parecia estar vindo de todas as partes da floresta. Os homens da vila resolveram pôr um fim naquele drama de uma vez por todas; além disso, precisavam socorrer o padre.

Com tochas acessas nas mãos, os homens se armaram com carabinas, garruchas e espadas; estavam determinados a entrar na trilha para por um fim naquele assédio maligno. Ao entrarem na trilha, um denso nevoeiro tomou conta de toda a região. Não se podia ver nada nem na trilha e nem na vila. As tochas se apagaram. Ouviam-se somente os gritos de pânico dos homens, enquanto as mulheres e crianças na vila eram tomadas pelo pavor. Algo os atacava sem piedade. As bruxas. Todos os homens da vila foram mortos naquela noite.

As mulheres da vila se refugiaram na hospedaria com as crianças. Por causa do medo, ninguém dormiu aquela noite. Quando amanheceu, as mulheres foram atrás dos homens na trilha e não encontraram. Decidiram ir até a caverna e o que viram lá, foi assustador. Os corpos estavam dentro da caverna, os olhos e os corações dos homens e do padre haviam sido arrancados.

As bruxas tinham exterminado todos os homens da vila. As mulheres entenderam que por algum motivo misterioso, os homens não eram bem vindos naquele lugar. Os meninos, seus filhos, foram mandados para outras cidades e na vila, só ficaram as mulheres… Desde então, passaram a viver isoladas. Formaram uma comunidade fechada, só de mulheres. Não aceitavam a presença de homens na vila; e foi assim, que as bruxas a deixaram em paz. Após esse fatídico massacre, não houve relatos de qualquer manifestação das bruxas na região; mas dizem que até hoje, se algum homem ousou entrar na trilha ou na Caverna das Feiticeiras, jamais voltou.

Páginas: 1 2