Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Adriano Besen
Adriano Besen
Natural de Florianópolis (Santa Catarina)
Autor do livro infantil: A história de uma galinha
Foi colunista do jornal O Tropeiro
Publicado em Antologias, revistas, jornais, blogs e sites.
Escritor e Músico.
Pesquisador e Aventureiro.
Contador de histórias.
Apaixonado por livros.

Facebook: https://www.facebook.com/adriano.besen.7
Instagram: @adrianobesen






Moloch, o Filho da Escuridão

No dia em que Moloch completou seis anos, algo terrível aconteceu. Durante a madrugada, enquanto a família dormia, um incêndio começou na casa. Tibério acordou ouvindo as gargalhadas de Moloch, e desesperado chamou Dalila. Saíram rapidamente da casa que estava sendo consumida pelo fogo. Ouviu-se uma voz grave ecoando pelo lugar. Uma voz demoníaca que pronunciava palavras incompreensíveis e que vinha de dentro das chamas, enquanto a casa desmoronava entre brasas e cinzas. 

Dalila gritava pelo filho enquanto Tibério a segurava apavorado. Moloch saiu caminhando tranquilamente do fogo, com aquele seu sorriso sinistro. Tibério e Dalila observavam aquela cena, incrédulos, enquanto um forte cheiro de enxofre tomava conta do lugar na medida em que Moloch se aproximava deles. Os vizinhos chegaram para socorrer a família; nada mais poderia ser feito, tudo havia queimado. 

Tibério, Dalila e Moloch foram levados para casa de um amigo, que após uma longa conversa sobre todos os acontecimentos macabros que envolviam Moloch, convenceu o casal de que era preciso batizar o garoto. Tibério e Dalila acabaram concordando que dessa maneia uma desgraça maior pudesse ser evitada. Tibério se lembrou do pacto que havia feito, prometendo a sua alma, a de sua esposa e a do próprio Moloch para Satanás… ele foi tomado por uma angustiante sensação de arrependimento; estava com medo, mas também estava disposto a batizar o filho, mesmo que isso tenha sido proibido pelo demônio que havia lhe visitado em sonho.

No dia seguinte, o casal levou Moloch até a igrejinha da vila para ser batizado. Ao entrarem, enquanto eles conversavam com o padre, o garoto começou a ficar agitado e teve que ser contido pelos pais. O padre achou o comportamento estranho, mas já conhecia a má fama de Moloch e iniciou a cerimônia de batismo imediatamente, fazendo suas orações. De repente, o garoto foi tomado por uma força sobre-humana e derrubou Tibério e Dalila no chão. Moloch não estava possuído; ele era a própria encarnação do Diabo, e sua fisionomia era horripilante.

Páginas: 1 2 3

Adriano Besen
Moloch, o Filho da Escuridão

No dia em que Moloch completou seis anos, algo terrível aconteceu. Durante a madrugada, enquanto a família dormia, um incêndio começou na casa. Tibério acordou ouvindo as gargalhadas de Moloch, e desesperado chamou Dalila. Saíram rapidamente da casa que estava sendo consumida pelo fogo. Ouviu-se uma voz grave ecoando pelo lugar. Uma voz demoníaca que pronunciava palavras incompreensíveis e que vinha de dentro das chamas, enquanto a casa desmoronava entre brasas e cinzas. 

Dalila gritava pelo filho enquanto Tibério a segurava apavorado. Moloch saiu caminhando tranquilamente do fogo, com aquele seu sorriso sinistro. Tibério e Dalila observavam aquela cena, incrédulos, enquanto um forte cheiro de enxofre tomava conta do lugar na medida em que Moloch se aproximava deles. Os vizinhos chegaram para socorrer a família; nada mais poderia ser feito, tudo havia queimado. 

Tibério, Dalila e Moloch foram levados para casa de um amigo, que após uma longa conversa sobre todos os acontecimentos macabros que envolviam Moloch, convenceu o casal de que era preciso batizar o garoto. Tibério e Dalila acabaram concordando que dessa maneia uma desgraça maior pudesse ser evitada. Tibério se lembrou do pacto que havia feito, prometendo a sua alma, a de sua esposa e a do próprio Moloch para Satanás… ele foi tomado por uma angustiante sensação de arrependimento; estava com medo, mas também estava disposto a batizar o filho, mesmo que isso tenha sido proibido pelo demônio que havia lhe visitado em sonho.

No dia seguinte, o casal levou Moloch até a igrejinha da vila para ser batizado. Ao entrarem, enquanto eles conversavam com o padre, o garoto começou a ficar agitado e teve que ser contido pelos pais. O padre achou o comportamento estranho, mas já conhecia a má fama de Moloch e iniciou a cerimônia de batismo imediatamente, fazendo suas orações. De repente, o garoto foi tomado por uma força sobre-humana e derrubou Tibério e Dalila no chão. Moloch não estava possuído; ele era a própria encarnação do Diabo, e sua fisionomia era horripilante.

Páginas: 1 2 3