Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Alexander Ribeiro
Natural do Rio de Janeiro. É servidor público municipal. Apesar de ser formado em cinema, foi na literatura que encontrou o meio ideal para expressar sua imaginação. Desde criança é fascinado pelo gênero fantástico, em especial, o horror. Artistas de diferentes mídias o influenciaram como Stephen King, H.P. Lovecraft, Neil Gaiman, Alan Moore, Grant Morrison, John Carpenter, Lucio Fulci, Dario Argento e Guilhermo del Toro.







Do Escuro Entre as Estrelas

Mas eis que ele ouviu outro barulho atrás de uma arvore ao longe. Assustado, levantou o tronco e usando a lanterna, olhou na direção. Não viu nada, até que do meio das arvores saiu um vulto gigante, e saltou, aterrissando exatamente na frente da criatura morta. Era inacreditável, mas o ser que havia acabado de matar não era único… havia outro, exatamente igual a ele. Apavorado com a visão e chocado com a descoberta, Glauco murmurou :

“ nããããooo …”

O ser estava parado, observando o semelhante morto… seriam irmãos ?pai e filho ? Impossível saber. Glauco ia andando pra trás sorrateiramente… tirou a armado ombro e se preparava para atirar, mas eis que algo atrás dele, tirou a arma de sua mão. Quando ele olhou pra trás, havia outro. Então o terror se apossou dele, que ficou branco e começou a tremer em suas pernas. O monstro pegou o rifle e enfiou o cano na bocarra abdominal, que o arrancou na mordida, depois cuspindo-o na barriga de Glauco, que recuou com a pancada. Ele então foi fortemente atingido na cabeça e caiu no chão tonto. A imagem do ser a sua frente começou a girar e ele desmaiou.

Ele abriu os olhos quando os raios de sol bateram em seu rosto. Tonto, via um emaranhado verde fora de foco a sua frente. Ele então fechou os olhos e abriu de novo e agora conseguia ver melhor as arvores da floresta. Piscou os olhos mais uma vez e agora enxergava com clareza. Estava na mata e o dia estava raiando. Ele olhou pra frente e viu que uma das duas criaturas o arrastava segurando pelas pernas, enquanto a outra, andava lado a lado com ela. Pensava que diabo estava acontecendo, e porque os dois monstros ainda não tinham lhe devorado como haviam feito com seu filho. Pensou: “cadê minha arma ?” e lembrou que a criatura a havia quebrado com a boca. Lembrou da faca e passou a mão no coldre e ela não estava lá, e se recordou que a havia largado no chão após ter esfaqueado a criatura que matou. Ou seja, ele não tinha como escapar daquela situação, uma vez que não poderia enfrentar dois monstros com as mãos nuas. Sentiu medo, mas pensou que por mais terrível que fosse o sofrimento, logo estaria com seu filho. 

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8

Alexander Ribeiro
Do Escuro Entre as Estrelas

Mas eis que ele ouviu outro barulho atrás de uma arvore ao longe. Assustado, levantou o tronco e usando a lanterna, olhou na direção. Não viu nada, até que do meio das arvores saiu um vulto gigante, e saltou, aterrissando exatamente na frente da criatura morta. Era inacreditável, mas o ser que havia acabado de matar não era único… havia outro, exatamente igual a ele. Apavorado com a visão e chocado com a descoberta, Glauco murmurou :

“ nããããooo …”

O ser estava parado, observando o semelhante morto… seriam irmãos ?pai e filho ? Impossível saber. Glauco ia andando pra trás sorrateiramente… tirou a armado ombro e se preparava para atirar, mas eis que algo atrás dele, tirou a arma de sua mão. Quando ele olhou pra trás, havia outro. Então o terror se apossou dele, que ficou branco e começou a tremer em suas pernas. O monstro pegou o rifle e enfiou o cano na bocarra abdominal, que o arrancou na mordida, depois cuspindo-o na barriga de Glauco, que recuou com a pancada. Ele então foi fortemente atingido na cabeça e caiu no chão tonto. A imagem do ser a sua frente começou a girar e ele desmaiou.

Ele abriu os olhos quando os raios de sol bateram em seu rosto. Tonto, via um emaranhado verde fora de foco a sua frente. Ele então fechou os olhos e abriu de novo e agora conseguia ver melhor as arvores da floresta. Piscou os olhos mais uma vez e agora enxergava com clareza. Estava na mata e o dia estava raiando. Ele olhou pra frente e viu que uma das duas criaturas o arrastava segurando pelas pernas, enquanto a outra, andava lado a lado com ela. Pensava que diabo estava acontecendo, e porque os dois monstros ainda não tinham lhe devorado como haviam feito com seu filho. Pensou: “cadê minha arma ?” e lembrou que a criatura a havia quebrado com a boca. Lembrou da faca e passou a mão no coldre e ela não estava lá, e se recordou que a havia largado no chão após ter esfaqueado a criatura que matou. Ou seja, ele não tinha como escapar daquela situação, uma vez que não poderia enfrentar dois monstros com as mãos nuas. Sentiu medo, mas pensou que por mais terrível que fosse o sofrimento, logo estaria com seu filho. 

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8