Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Alexander Ribeiro
Natural do Rio de Janeiro. É servidor público municipal. Apesar de ser formado em cinema, foi na literatura que encontrou o meio ideal para expressar sua imaginação. Desde criança é fascinado pelo gênero fantástico, em especial, o horror. Artistas de diferentes mídias o influenciaram como Stephen King, H.P. Lovecraft, Neil Gaiman, Alan Moore, Grant Morrison, John Carpenter, Lucio Fulci, Dario Argento e Guilhermo del Toro.







O Vulto

Luís sentia sua língua tocar a língua de Andressa e seu sangue fervia. A abraçava com força, e a desejava loucamente. Ele era louco por Andressa desde a primeira vez em que a viu no começo do ano na escola. Depois de muito tempo sendo amigo dela , ele enfim  tinha se tornado namorado dela há dois meses. Naquela noite, eles estavam voltando de uma festa, e acabaram entrando numa casa abandonada para dar um amasso. O clima estava esquentando e parecia que ia rolar sexo. Diziam que aquela casa era assombrada, mas os dois eram céticos a respeito de coisas sobrenaturais. E o desejo não os fez pensar duas vezes em entrarem no lugar.

Excitado, Luís apertou a bunda da namorada, e ela não protestou. Ele então continuouapertando, enquanto beijava seu pescoço. Andressa, excitada, começou a alisar o pênis do namorado, que estava ereto. Ela então, abriu a braguilha da calça dele, colocou seu pênis pra fora e se abaixou, colocando-o na boca.

Luís apoiou as costas na parede enquanto alisava os cabelos de Andressa. Ele fechou os olhos e deu um sorriso de satisfação. Depois de alguns segundos, deliciando aquele momento, ele ouviu algo como um sussurro baixo, então abriu um pouco os olhos e viu um vulto nas sombras da sala da casa. O vulto veio caminhando lentamente e parou diante da janela por onde a luz do luar entrava. O jovem, então, ficou impressionado com o que viu : era uma garota, da sua idade, com um vestido cinza, manchado de sangue, que escorria do seu pescoço que estava aberto, cortado de orelha a orelha. De repente, ela começou a chorar em silêncio e lágrimas de sangue escorriam dos seus olhos. Luís estava paralisado de pavor. Seu coração batia forte como uma britadeira, e imediatamente, ele broxou. Andressa continuou chupando-o, tentando excitá-lo novamente.

O vulto, que continuava chorando, agora baixou lentamente a alça esquerda de seu vestido, ate deixar o seio a mostra. A mama estava dilacerada, mutilada, sem o mamilo e parte da carne. No centro, havia um buraco que parecia um túnel. Luís estava cada vez mais apavorado, e não conseguia nem falar, paralisado. De repente, ele notou que algo estava saindo de dentro do buraco. Uma larva vermelha ia saindo aos poucos das sombras e ao botar a cabeça pra fora dava pra notar que tinha dois chifres e 6 olhos vermelhos. De repente, a coisa abriu a boca, e uma língua bifurcada saiu de dentro. Luís ficou tão apavorado, que seu coração bateu muito forte e ele teve uma parada cardíaca. De repente caiu para o lado e Andressa ficou surpresa, sem entender o que estava acontecendo. Ela mexeu em seu braço, chamando-o. Como ele não respondia, ela levou as mãos ao rosto, assustada. De repente, se lembrou que tinha visto num filme que se verificava a pulsação no pescoço para saber se uma pessoa morreu, e foi verificar a do namorado, e então constatou que ele estava morto. O vulto, voltou para as sombras e desapareceu no ar sem que Andressa o notasse.

Páginas: 1 2

Luís sentia sua língua tocar a língua de Andressa e seu sangue fervia. A abraçava com força, e a desejava loucamente. Ele era louco por Andressa desde a primeira vez em que a viu no começo do ano na escola. Depois de muito tempo sendo amigo dela , ele enfim  tinha se tornado namorado dela há dois meses. Naquela noite, eles estavam voltando de uma festa, e acabaram entrando numa casa abandonada para dar um amasso. O clima estava esquentando e parecia que ia rolar sexo. Diziam que aquela casa era assombrada, mas os dois eram céticos a respeito de coisas sobrenaturais. E o desejo não os fez pensar duas vezes em entrarem no lugar.

Excitado, Luís apertou a bunda da namorada, e ela não protestou. Ele então continuouapertando, enquanto beijava seu pescoço. Andressa, excitada, começou a alisar o pênis do namorado, que estava ereto. Ela então, abriu a braguilha da calça dele, colocou seu pênis pra fora e se abaixou, colocando-o na boca.

Luís apoiou as costas na parede enquanto alisava os cabelos de Andressa. Ele fechou os olhos e deu um sorriso de satisfação. Depois de alguns segundos, deliciando aquele momento, ele ouviu algo como um sussurro baixo, então abriu um pouco os olhos e viu um vulto nas sombras da sala da casa. O vulto veio caminhando lentamente e parou diante da janela por onde a luz do luar entrava. O jovem, então, ficou impressionado com o que viu : era uma garota, da sua idade, com um vestido cinza, manchado de sangue, que escorria do seu pescoço que estava aberto, cortado de orelha a orelha. De repente, ela começou a chorar em silêncio e lágrimas de sangue escorriam dos seus olhos. Luís estava paralisado de pavor. Seu coração batia forte como uma britadeira, e imediatamente, ele broxou. Andressa continuou chupando-o, tentando excitá-lo novamente.

O vulto, que continuava chorando, agora baixou lentamente a alça esquerda de seu vestido, ate deixar o seio a mostra. A mama estava dilacerada, mutilada, sem o mamilo e parte da carne. No centro, havia um buraco que parecia um túnel. Luís estava cada vez mais apavorado, e não conseguia nem falar, paralisado. De repente, ele notou que algo estava saindo de dentro do buraco. Uma larva vermelha ia saindo aos poucos das sombras e ao botar a cabeça pra fora dava pra notar que tinha dois chifres e 6 olhos vermelhos. De repente, a coisa abriu a boca, e uma língua bifurcada saiu de dentro. Luís ficou tão apavorado, que seu coração bateu muito forte e ele teve uma parada cardíaca. De repente caiu para o lado e Andressa ficou surpresa, sem entender o que estava acontecendo. Ela mexeu em seu braço, chamando-o. Como ele não respondia, ela levou as mãos ao rosto, assustada. De repente, se lembrou que tinha visto num filme que se verificava a pulsação no pescoço para saber se uma pessoa morreu, e foi verificar a do namorado, e então constatou que ele estava morto. O vulto, voltou para as sombras e desapareceu no ar sem que Andressa o notasse.

Páginas: 1 2