Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Cláudio Kaz
Cláudio Castro de Mendonça sempre teve a influência da música em sua vida. Sua mãe, uma amante da música e da cultura, sempre incentivou o contato do filho com a arte. Quando tinha 10 anos começou a fazer aula de violão e não deu sequência, aos 17 anos mais maduro e decidido voltou as aulas de violão, começou a cantar em corais e amadureceu como compositor. Seus ídolos e influentes foram Rock dos anos 80 com Legião Urbana, a banda internacional The Smiths e a nova geração da MPB como Zeca Baleiro nos anos 90.
Em 2001 começou sua carreira profissional tocando em bares da cidade. Logo em 2002 recebeu um convite para tocar contrabaixo na banda Racha Cuca que tocava hardcore. Com essa banda pode mostrar seu trabalho como compositor, tocando e cantando pela primeira vez uma musica de composição própria. Com a Racha Cuca, Cláudio participou do festival de bandas novas de Juiz de Foras- MG e o projeto cultual nossa música. Em 2003 Cláudio quis mudar seu estilo musical e formou uma banda de pop rock chamada Rota sul. Com ela tocou em eventos importantes da cidade como o projeto fome zero e participou de vários festivais e projetos culturais.
Em 2005, Cláudio realizou seu sonho que gravar seu primeiro disco. Com o nome artístico Klauss, lançou “A Porta” em um teatro lotado de amigos e fãs. O disco era uma mistura de pop rock com baladas românticas com influência nos anos 80. Klauss lançou esse disco totalmente autoral em parceria com a Discovery Music.
Em 2008 gravou seu segundo disco, seu primeiro trabalho pela Seven Music, selo da Universal Music. Este disco foi versões de alguns clássicos do pop rock dos anos 80 e de alguns anônimos esquecidos.
Em 2011, aos 30 anos, com o nome artístico de Cláudio Kaz, gravou “Sol da meia noite” Um disco que mistura o folk americano, brasileiro, irlandês com musica country e musica de raiz brasileira. Algumas músicas soando como Legião Urbana e The Smiths.
Formado em História pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em 2002 e em inglês na Abbey College em 2010, recentemente adquiriu o diploma de pos graduação em Gestão do Ensino Superior pela Faculdade Estácio de Sá. Morou na República da Irlanda em 2010. Lecionou inglês, foi membro da banda Vilarejo que faz tributo a banda mineira Skank. Sem medo de arriscar e mostrando em cada música seu amadurecimento pessoal e artístico, Cláudio continua trabalhando com música. Hoje como Educador Social na LBV.
Apesar de desde os 18 anos escrever poesias, desde de 2009 escreve contos. Seu projeto atual é a biografia do músico Joãozinho da Percussão. Possui textos publicados em 2 blogs.
E-mail: claudiokaz@bol.com.br
Facebook: facebook.com/claudiokaz






A proposta – Parte 1

Com o passar das semanas, como já se enturmara com Camila, Vladimir começou a conversar com Tiago também. Até mesmo o ajudava em tempo livre. O que deixava Reinaldo furioso por dentro. Com o passar do mês, eles começaram a ter encontros fora da academia. Bate papos e lanches. Coisa que Reinaldo não conseguira em seus três anos de academia. Ele se chateou de verdade e passou a faltar na malhação. Não ia todos os dias e percebeu que não fazia tanta falta assim. O casal nem notou. Só tinha olhos para Vladimir, que constantemente fazia-os rir.
Certa feita, passando na tradicional rua que passava todos os dias ao sair do trabalho, avista de longe o trio que se tornara inseparável. Ficou decepcionado, mas também sentiu uma vontade enorme de continuar vendo-os. Até que eles foram em direção de uma rua deserta, com terrenos baldios. Quase ninguém passava por lá a pé. Reinaldo fitou de longe e os seguiu até uma casa que se escondia no meio dos arbustos. Parecia abandonada. Por fora era feia e sua tinta descascava. Ficou intrigado com que eles poderiam fazer naquele “pulgueiro” e resolveu investigar.

Esperou um tempo depois que eles entraram e procurou nas janelas se era possível ver alguma coisa. Nada. Eles tinham entrado em algum cômodo que não conseguia ver. De repente alguém abriu uma porta no meio da sala. Reinaldo se assustou e se abaixou. Seu coração acelerou e ele fechou os olhos para acalmar. Subiu novamente e viu Vladimir abrindo uma bolsa e tirando uma câmera. Tirou também alguns fios e refletores. Realmente parecia com isso. Vladimir entrou novamente e Reinaldo não conseguiu ver mais nada. Ficou extremamente intrigado, porém não poderia passar dali. Iriam descobrir. Resolveu esperar. Não tinha pressa. Não havia ninguém que o esperasse em casa, a não ser sua mãe idosa, doente e manipuladora. Amigos ele também não tinha. Alguns conhecidos nas salas de bate papo e jogos. No trabalho também não se entrosava. Apenas fazia sua parte e ia embora. Enquanto pensava na vida adormeceu.

Acordou assustado com o barulho de Tiago e Camila saindo pela porta. Tinha adormecido quase uma hora. Olhou pela beirada da casa e viu os três se despedindo. O casal foi embora sorridente e se abraçando. Vladimir ficou e entrou novamente dentro da casa. Reinaldo achou melhor esperar todos irem para não ser visto. Percebeu que iria ficar por ali mesmo. Resolveu olhar novamente pela janela.

Vladimir sentou em uma cadeira e conectou a câmera a um notebook. Enquanto o processo se firmava ele acendeu um cigarro e abriu uma lata de cerveja que estava dentro de uma bolsa térmica. Ele parecia relaxado e tranquilo. Sorria sozinho. Puxou outra cadeira e colocou os pés. Apreciava cada gole e cada trago do cigarro. Quando o computador deu um sinal sonoro ele abriu um programa. Reinaldo conseguia ver perfeitamente o que se passava na tela. Era um vídeo. Provavelmente do cômodo e de repente viu Camila olhando para a câmera e sorrindo. Depois apareceu Tiago. Os dois começaram a se beijar, Tiago começou a tirar a roupa de Camila. Reinaldo na mesma hora se abaixou e começou a ter uma falta de ar inexplicável. Não acreditava no que via. Eles estavam fazendo um filme erótico! Sentiu um êxtase imenso. Não sabia se continuava a assistir ou ia embora.

Páginas: 1 2 3

Cláudio Kaz
A proposta – Parte 1

Com o passar das semanas, como já se enturmara com Camila, Vladimir começou a conversar com Tiago também. Até mesmo o ajudava em tempo livre. O que deixava Reinaldo furioso por dentro. Com o passar do mês, eles começaram a ter encontros fora da academia. Bate papos e lanches. Coisa que Reinaldo não conseguira em seus três anos de academia. Ele se chateou de verdade e passou a faltar na malhação. Não ia todos os dias e percebeu que não fazia tanta falta assim. O casal nem notou. Só tinha olhos para Vladimir, que constantemente fazia-os rir.
Certa feita, passando na tradicional rua que passava todos os dias ao sair do trabalho, avista de longe o trio que se tornara inseparável. Ficou decepcionado, mas também sentiu uma vontade enorme de continuar vendo-os. Até que eles foram em direção de uma rua deserta, com terrenos baldios. Quase ninguém passava por lá a pé. Reinaldo fitou de longe e os seguiu até uma casa que se escondia no meio dos arbustos. Parecia abandonada. Por fora era feia e sua tinta descascava. Ficou intrigado com que eles poderiam fazer naquele “pulgueiro” e resolveu investigar.

Esperou um tempo depois que eles entraram e procurou nas janelas se era possível ver alguma coisa. Nada. Eles tinham entrado em algum cômodo que não conseguia ver. De repente alguém abriu uma porta no meio da sala. Reinaldo se assustou e se abaixou. Seu coração acelerou e ele fechou os olhos para acalmar. Subiu novamente e viu Vladimir abrindo uma bolsa e tirando uma câmera. Tirou também alguns fios e refletores. Realmente parecia com isso. Vladimir entrou novamente e Reinaldo não conseguiu ver mais nada. Ficou extremamente intrigado, porém não poderia passar dali. Iriam descobrir. Resolveu esperar. Não tinha pressa. Não havia ninguém que o esperasse em casa, a não ser sua mãe idosa, doente e manipuladora. Amigos ele também não tinha. Alguns conhecidos nas salas de bate papo e jogos. No trabalho também não se entrosava. Apenas fazia sua parte e ia embora. Enquanto pensava na vida adormeceu.

Acordou assustado com o barulho de Tiago e Camila saindo pela porta. Tinha adormecido quase uma hora. Olhou pela beirada da casa e viu os três se despedindo. O casal foi embora sorridente e se abraçando. Vladimir ficou e entrou novamente dentro da casa. Reinaldo achou melhor esperar todos irem para não ser visto. Percebeu que iria ficar por ali mesmo. Resolveu olhar novamente pela janela.

Vladimir sentou em uma cadeira e conectou a câmera a um notebook. Enquanto o processo se firmava ele acendeu um cigarro e abriu uma lata de cerveja que estava dentro de uma bolsa térmica. Ele parecia relaxado e tranquilo. Sorria sozinho. Puxou outra cadeira e colocou os pés. Apreciava cada gole e cada trago do cigarro. Quando o computador deu um sinal sonoro ele abriu um programa. Reinaldo conseguia ver perfeitamente o que se passava na tela. Era um vídeo. Provavelmente do cômodo e de repente viu Camila olhando para a câmera e sorrindo. Depois apareceu Tiago. Os dois começaram a se beijar, Tiago começou a tirar a roupa de Camila. Reinaldo na mesma hora se abaixou e começou a ter uma falta de ar inexplicável. Não acreditava no que via. Eles estavam fazendo um filme erótico! Sentiu um êxtase imenso. Não sabia se continuava a assistir ou ia embora.

Páginas: 1 2 3