Abdução - Cláudio Kaz
Cláudio Kaz
Cláudio Castro de Mendonça sempre teve a influência da música em sua vida. Sua mãe, uma amante da música e da cultura, sempre incentivou o contato do filho com a arte. Quando tinha 10 anos começou a fazer aula de violão e não deu sequência, aos 17 anos mais maduro e decidido voltou as aulas de violão, começou a cantar em corais e amadureceu como compositor. Seus ídolos e influentes foram Rock dos anos 80 com Legião Urbana, a banda internacional The Smiths e a nova geração da MPB como Zeca Baleiro nos anos 90.
Em 2001 começou sua carreira profissional tocando em bares da cidade. Logo em 2002 recebeu um convite para tocar contrabaixo na banda Racha Cuca que tocava hardcore. Com essa banda pode mostrar seu trabalho como compositor, tocando e cantando pela primeira vez uma musica de composição própria. Com a Racha Cuca, Cláudio participou do festival de bandas novas de Juiz de Foras- MG e o projeto cultual nossa música. Em 2003 Cláudio quis mudar seu estilo musical e formou uma banda de pop rock chamada Rota sul. Com ela tocou em eventos importantes da cidade como o projeto fome zero e participou de vários festivais e projetos culturais.
Em 2005, Cláudio realizou seu sonho que gravar seu primeiro disco. Com o nome artístico Klauss, lançou “A Porta” em um teatro lotado de amigos e fãs. O disco era uma mistura de pop rock com baladas românticas com influência nos anos 80. Klauss lançou esse disco totalmente autoral em parceria com a Discovery Music.
Em 2008 gravou seu segundo disco, seu primeiro trabalho pela Seven Music, selo da Universal Music. Este disco foi versões de alguns clássicos do pop rock dos anos 80 e de alguns anônimos esquecidos.
Em 2011, aos 30 anos, com o nome artístico de Cláudio Kaz, gravou “Sol da meia noite” Um disco que mistura o folk americano, brasileiro, irlandês com musica country e musica de raiz brasileira. Algumas músicas soando como Legião Urbana e The Smiths.
Formado em História pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em 2002 e em inglês na Abbey College em 2010, recentemente adquiriu o diploma de pos graduação em Gestão do Ensino Superior pela Faculdade Estácio de Sá. Morou na República da Irlanda em 2010. Lecionou inglês, foi membro da banda Vilarejo que faz tributo a banda mineira Skank. Sem medo de arriscar e mostrando em cada música seu amadurecimento pessoal e artístico, Cláudio continua trabalhando com música. Hoje como Educador Social na LBV.
Apesar de desde os 18 anos escrever poesias, desde de 2009 escreve contos. Seu projeto atual é a biografia do músico Joãozinho da Percussão. Possui textos publicados em 2 blogs.
E-mail: claudiokaz@bol.com.br
Facebook: facebook.com/claudiokaz






Abdução

       – Você será nosso parceiro nessa nova empreitada no planeta Terra. Estaremos com você a todo o momento e seus sinais nos darão tudo o que precisamos para entendermos as dificuldades humanas. Milhares de amigos como você estão nos ajudando. Você não é o único. Vá e seja feliz. Em breve estaremos todos juntos em uma nova era. Considere-se privilegiado por ter visto Ashtar Sheran pessoalmente. Ele é nosso guia e disse que você tem muito potencial para o trabalho. Parabéns.
Frederico retornou a maca para o local que tinha vindo e se despediu com um aceno de cabeça. Os seres cinzas tocaram na máscara que estava no rosto de Humberto e um gás foi expelido e ele apagou.

       Acordou atordoado e nervoso dentro de uma ambulância. O enfermeiro o segurou pelos braços e o acalmou. Ele obedeceu e olhou em volta e ao fundo viu seu carro e o tronco queimado da árvore caído. Já era de manhã e alguns policiais andavam por todos os lados.

       Humberto ficou encarando o teto do veículo e tentando entender o que havia acontecido. De repente chegou a conclusão de que tudo tinha sido um sonho. Se sentia muito bem agora. Levantou-se e perguntou por Frederico. O enfermeiro disse que ele estava sozinho no carro e desacordado. Não havia mais ninguém nem indícios de outra pessoa. Disse também que ele estava muito bem, sem nenhum problema. Apenas tinha desmaiado devido ao giro do carro e que adormeceu com o cansaço.

       O enfermeiro saiu e conversou com um policial que olhou para Humberto e fez sinal de positivo com o dedão para cima.

       Humberto respirou fundo e se relaxou. Mesmo tendo certeza de que tinha sido um sonho, resolveu tentar juntar os fragmentos de lembranças em sua mente. Foi então que passou a mão atrás de sua nuca e sentiu uma pequena protuberância em sua pele. Passou nos braços e pernas e sentiu o mesmo. Foi então que percebeu que tudo havia acontecido de verdade. Resolveu não contar nada para ninguém. Mas sentiu uma forte excitação por dentro e uma imensa vontade de mudar o mundo.

 

Páginas: 1 2 3 4 5

Cláudio Kaz
Abdução

       – Você será nosso parceiro nessa nova empreitada no planeta Terra. Estaremos com você a todo o momento e seus sinais nos darão tudo o que precisamos para entendermos as dificuldades humanas. Milhares de amigos como você estão nos ajudando. Você não é o único. Vá e seja feliz. Em breve estaremos todos juntos em uma nova era. Considere-se privilegiado por ter visto Ashtar Sheran pessoalmente. Ele é nosso guia e disse que você tem muito potencial para o trabalho. Parabéns.
Frederico retornou a maca para o local que tinha vindo e se despediu com um aceno de cabeça. Os seres cinzas tocaram na máscara que estava no rosto de Humberto e um gás foi expelido e ele apagou.

       Acordou atordoado e nervoso dentro de uma ambulância. O enfermeiro o segurou pelos braços e o acalmou. Ele obedeceu e olhou em volta e ao fundo viu seu carro e o tronco queimado da árvore caído. Já era de manhã e alguns policiais andavam por todos os lados.

       Humberto ficou encarando o teto do veículo e tentando entender o que havia acontecido. De repente chegou a conclusão de que tudo tinha sido um sonho. Se sentia muito bem agora. Levantou-se e perguntou por Frederico. O enfermeiro disse que ele estava sozinho no carro e desacordado. Não havia mais ninguém nem indícios de outra pessoa. Disse também que ele estava muito bem, sem nenhum problema. Apenas tinha desmaiado devido ao giro do carro e que adormeceu com o cansaço.

       O enfermeiro saiu e conversou com um policial que olhou para Humberto e fez sinal de positivo com o dedão para cima.

       Humberto respirou fundo e se relaxou. Mesmo tendo certeza de que tinha sido um sonho, resolveu tentar juntar os fragmentos de lembranças em sua mente. Foi então que passou a mão atrás de sua nuca e sentiu uma pequena protuberância em sua pele. Passou nos braços e pernas e sentiu o mesmo. Foi então que percebeu que tudo havia acontecido de verdade. Resolveu não contar nada para ninguém. Mas sentiu uma forte excitação por dentro e uma imensa vontade de mudar o mundo.

 

Páginas: 1 2 3 4 5