Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
E. B. Toniolli
Sou um contador de histórias.
Desde que tenho consiência de minha existência conto histórias.
Sou péssimo com nomes e rostos e a vida das pessoas não me atrai, mas as suas histórias sim.
Cada dia uma nova história, com suas banalidades, com suas expectativas, frustrações, seus sonhos, medos...
Me agrada o caos presente na ordem e a ordem sistemática presente no caos.
E assim levo a vida: entre extremos de crenças e crença nenhuma, entre a criação do novo e a reciclagem do bem e do mau, do belo e do feio.
Entre os diversos meios de retratar a vida, de criar conceitos em empresa, de vender esperanças na harmonia das coisas e das pessoas.
E assim levo a vida, contando histórias.

E-mail: toniolli@gmail.com
Facebook: facebook.com/ebtoniolli




Lullaby

Hoje senti uma vez mais
Teu cálido abraço nupcial
E teu longínquo, brados nos anais
Convite sulfuroso e cremacional.

Vindo do âmago sepulcral
Entoas em fulgoroso pedido devasso
Que no leito devo ser sacramental
Sentir o apelo da morte no teu abraço

Rio, eu, de prazer em demência
Calor tubular preenche meu ser
Sussurros mortuários de dor mortal.

Deixa-me sozinho em mórbido astral
E os sinos entoam que será melhor morrer
Que passar a vida na tua ausência.

E. B. Toniolli
Lullaby

Hoje senti uma vez mais
Teu cálido abraço nupcial
E teu longínquo, brados nos anais
Convite sulfuroso e cremacional.

Vindo do âmago sepulcral
Entoas em fulgoroso pedido devasso
Que no leito devo ser sacramental
Sentir o apelo da morte no teu abraço

Rio, eu, de prazer em demência
Calor tubular preenche meu ser
Sussurros mortuários de dor mortal.

Deixa-me sozinho em mórbido astral
E os sinos entoam que será melhor morrer
Que passar a vida na tua ausência.