Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Gisele Honorato
Gisele Honorato, 34 anos, nasceu em Vila Velha no Espírito Santo e participou de várias coletâneas literárias, sendo as mais recentes:
Ultra Rômanticos, Góticos & Trágicos Poemas (2020) pela Dark Books;
Sangue e Água Benta (2020) pelo Grupo Editorial Quimera;
Noites Arcanas (2020) pela Dríade Editora;
A Maldição da Lua Cheia (2021) pela Cartola Editora e
Witch (2021) pela Amazon pela Come in Handy.










O Presente

– Que foi Babi? – Perguntou Bruna olhando para a irmã com o dedo na boca.

– Ela me furou.

– Quem te furou? A boneca?

Ela concordou com a cabeça.

– Me deixa ver? – Pediu ela estendendo a mão.

Podia se ver três pontinhos de sangue no dedo dela. Ao olhar para o chão ela viu a cabeça da boneca partida e dentro dela a cabeça grotesca da boneca dos seus sonhos a olhava e sorria.

Em desespero ela a pegou e jogou no lixo.

***

– A mamãe vai brigar comigo?

– Eu não vou contar para ela, agora dorme. Eu sei que foi sem querer. Será um segredo nosso. Agora dorme.

Ela deixou a irmã no quarto e desceu para buscar um pouco de agua antes de ir dormir, foi quando ouviu novamente o barulho estranho. Olhou pela casa, mas não achou nada de anormal e foi dormir.

Sonhou novamente com a boneca grotesca subindo as escadas e indo até o quarto de sua irmã.

Acordou assustada e ensopada de suor.

Naquele silêncio da madrugada ela ouviu o barulho de pequenos passi-nhos descendo as escadas.

Correu e viu a porta do quarto da sua irmã aberta.

Na cama o corpinho sem vida, os olhos fitava o teto do quarto. Ela gritou até expelir todo o ar de seus pulmões.

Sua madrasta chorava copiosamente e murmurava sem parar: “Eu disse para ela não brincar com a boneca!”

Páginas: 1 2 3

Gisele Honorato
O Presente

– Que foi Babi? – Perguntou Bruna olhando para a irmã com o dedo na boca.

– Ela me furou.

– Quem te furou? A boneca?

Ela concordou com a cabeça.

– Me deixa ver? – Pediu ela estendendo a mão.

Podia se ver três pontinhos de sangue no dedo dela. Ao olhar para o chão ela viu a cabeça da boneca partida e dentro dela a cabeça grotesca da boneca dos seus sonhos a olhava e sorria.

Em desespero ela a pegou e jogou no lixo.

***

– A mamãe vai brigar comigo?

– Eu não vou contar para ela, agora dorme. Eu sei que foi sem querer. Será um segredo nosso. Agora dorme.

Ela deixou a irmã no quarto e desceu para buscar um pouco de agua antes de ir dormir, foi quando ouviu novamente o barulho estranho. Olhou pela casa, mas não achou nada de anormal e foi dormir.

Sonhou novamente com a boneca grotesca subindo as escadas e indo até o quarto de sua irmã.

Acordou assustada e ensopada de suor.

Naquele silêncio da madrugada ela ouviu o barulho de pequenos passi-nhos descendo as escadas.

Correu e viu a porta do quarto da sua irmã aberta.

Na cama o corpinho sem vida, os olhos fitava o teto do quarto. Ela gritou até expelir todo o ar de seus pulmões.

Sua madrasta chorava copiosamente e murmurava sem parar: “Eu disse para ela não brincar com a boneca!”

Páginas: 1 2 3