Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Hügo Mendigo
Em 1984, ao pseudo fim da ditadura no Brasil, na cidadezinha rural de Gravataí nascia mais um Mendigo, o Hügo. Parece um clichê dizer "escrever para não enlouquecer" mas foi sim sua psicóloga que recomendou os registros turvos de sua vida. Visões urbanas e alcoolizadas, mulheres e teorias da conspiração povoam esses manuscritos virtuais, sempre assinados como Nadal Goulart. Metalúrgico, pai e um monte de outras coisas que não precisam ser ditas por que ninguem perguntou.





Adolescência… a minha

Minha vida de muito legal tinha virado uma bosta em poucos meses
Nos mudamos, o clima era outro, a vizinhança, as vizinhas, o campinho do futebol(q eu pouco usava)… Tudo era diferente
Depois veio o desemprego, as crises do pais pesavam na minha casa e eu sentia as contas se acumulando
Meus tênis apertavam e agora não vinham outros novos no lugar dos velhos
Eu já passava de 1,75 e 85 kg
Minha escrotidão começava a surgir debaixo daquela cara redonda de bebê q estava morrendo dentro de mim
Consegui gravar Mad Max II da TV, assistia aquilo todos os dias umas 3 vezes
O mundo acabou, em guerra e fome
Eu pensava q aquilo bem q podia acontecer
Ai todos seriam fudidos e podres igual eu
Um egoísmo sarcástico, mas era isso q pensava na época
Passaram mais alguns meses e algo estava ficando ainda mais diferente em mim….
Meu cabelo estava crescendo
Nem lembro se decidi q isso aconteceria ou aconteceu ao natural, mas já estava amarrado na nuca
Nos mudamos mais umas 3 vezes e eu tinha jeans rasgados, tênis brancos grandes e o cabelo seco e duro alcançava os ombros
Eu tinha 14 anos, 1,87 m, 90 kg e parecia q eu nunca mais iria parar de crescer
Meus desejos de fim do mundo do Mad Max foi trocado pelo mesmo desejo mas agora pela “A Era do Apocalypse”, dos X men, ainda quadrinhos
Na fase em q mais me foi cobrado “estilo” na escola, onde só os mais legais tinham uma namorada, eu morava com meus pais em uma casa sem agua encanada e sem luz
Tudo cortado por falta de pagamento
Mal tínhamos o q comer

Páginas: 1 2 3 4 5

Hügo Mendigo
Adolescência… a minha

Minha vida de muito legal tinha virado uma bosta em poucos meses
Nos mudamos, o clima era outro, a vizinhança, as vizinhas, o campinho do futebol(q eu pouco usava)… Tudo era diferente
Depois veio o desemprego, as crises do pais pesavam na minha casa e eu sentia as contas se acumulando
Meus tênis apertavam e agora não vinham outros novos no lugar dos velhos
Eu já passava de 1,75 e 85 kg
Minha escrotidão começava a surgir debaixo daquela cara redonda de bebê q estava morrendo dentro de mim
Consegui gravar Mad Max II da TV, assistia aquilo todos os dias umas 3 vezes
O mundo acabou, em guerra e fome
Eu pensava q aquilo bem q podia acontecer
Ai todos seriam fudidos e podres igual eu
Um egoísmo sarcástico, mas era isso q pensava na época
Passaram mais alguns meses e algo estava ficando ainda mais diferente em mim….
Meu cabelo estava crescendo
Nem lembro se decidi q isso aconteceria ou aconteceu ao natural, mas já estava amarrado na nuca
Nos mudamos mais umas 3 vezes e eu tinha jeans rasgados, tênis brancos grandes e o cabelo seco e duro alcançava os ombros
Eu tinha 14 anos, 1,87 m, 90 kg e parecia q eu nunca mais iria parar de crescer
Meus desejos de fim do mundo do Mad Max foi trocado pelo mesmo desejo mas agora pela “A Era do Apocalypse”, dos X men, ainda quadrinhos
Na fase em q mais me foi cobrado “estilo” na escola, onde só os mais legais tinham uma namorada, eu morava com meus pais em uma casa sem agua encanada e sem luz
Tudo cortado por falta de pagamento
Mal tínhamos o q comer

Páginas: 1 2 3 4 5