Ainda me surpreendendo - Hugo Mendigo
Hügo Mendigo
Em 1984, ao pseudo fim da ditadura no Brasil, na cidadezinha rural de Gravataí nascia mais um Mendigo, o Hügo. Parece um clichê dizer "escrever para não enlouquecer" mas foi sim sua psicóloga que recomendou os registros turvos de sua vida. Visões urbanas e alcoolizadas, mulheres e teorias da conspiração povoam esses manuscritos virtuais, sempre assinados como Nadal Goulart. Metalúrgico, pai e um monte de outras coisas que não precisam ser ditas por que ninguem perguntou.





Ainda me surpreendendo

Era minha vez de montar nela e aproveitar toda essa molhaçada que estava saindo dela
Quando fui me virar pra sair debaixo dela e ir por cima ela reagiu
Se torceu e engoliu meu pau
Estava pingando do mel dela
Ela sentia o gosto dela mesma ao me chupar
E chupava forte
Logo ela voltou a puxar minhas bolas firmemente
Novamente puxando minha masculinidade pra fora de mim e pra dentro dela
Era delicioso aquilo
Eu me sentia ainda o brinquedo dela
Ela mamava e sugava tudo que estava ali
Ela foi me acariciando e sentindo até onde ela tinha me molhado com o gozo dela
Ela sentiu meu cu molhado com aquilo
Ela nem pensou
Quando sentiu aquilo, ela abriu minhas pernas e ao invés de puxar forte meu saco enquanto me chupava ela começou a massagear a porta do meu cu
Como se fosse um clitóris
Massageou e me mamava forte ao mesmo tempo
Foi adentrando com os dedos em mim e me encarava
Me intimidava com seu olhar de dominante
Eu fui deixando
Ela que mandava em tudo
Quando percebi ela socava fundo e forte os dedos em mim e ao mesmo tempo brincava com o pau na boca dela como se já fizesse parte da boca dela
Eu avisei que estava por gozar
Aquilo parece que hipnotizou ela
Ela seguiu com mais força e eu não aguentei
Enchi a boca dela com uma generosa dose de porra

Páginas: 1 2 3 4 5

Hügo Mendigo
Ainda me surpreendendo

Era minha vez de montar nela e aproveitar toda essa molhaçada que estava saindo dela
Quando fui me virar pra sair debaixo dela e ir por cima ela reagiu
Se torceu e engoliu meu pau
Estava pingando do mel dela
Ela sentia o gosto dela mesma ao me chupar
E chupava forte
Logo ela voltou a puxar minhas bolas firmemente
Novamente puxando minha masculinidade pra fora de mim e pra dentro dela
Era delicioso aquilo
Eu me sentia ainda o brinquedo dela
Ela mamava e sugava tudo que estava ali
Ela foi me acariciando e sentindo até onde ela tinha me molhado com o gozo dela
Ela sentiu meu cu molhado com aquilo
Ela nem pensou
Quando sentiu aquilo, ela abriu minhas pernas e ao invés de puxar forte meu saco enquanto me chupava ela começou a massagear a porta do meu cu
Como se fosse um clitóris
Massageou e me mamava forte ao mesmo tempo
Foi adentrando com os dedos em mim e me encarava
Me intimidava com seu olhar de dominante
Eu fui deixando
Ela que mandava em tudo
Quando percebi ela socava fundo e forte os dedos em mim e ao mesmo tempo brincava com o pau na boca dela como se já fizesse parte da boca dela
Eu avisei que estava por gozar
Aquilo parece que hipnotizou ela
Ela seguiu com mais força e eu não aguentei
Enchi a boca dela com uma generosa dose de porra

Páginas: 1 2 3 4 5