Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Hügo Mendigo
Em 1984, ao pseudo fim da ditadura no Brasil, na cidadezinha rural de Gravataí nascia mais um Mendigo, o Hügo. Parece um clichê dizer "escrever para não enlouquecer" mas foi sim sua psicóloga que recomendou os registros turvos de sua vida. Visões urbanas e alcoolizadas, mulheres e teorias da conspiração povoam esses manuscritos virtuais, sempre assinados como Nadal Goulart. Metalúrgico, pai e um monte de outras coisas que não precisam ser ditas por que ninguem perguntou.





Casos raros II

Posso tá falando merda
Mas grande parte das pessoas com quem me relacionei seja com sentimento ou só por sexo do meio metal/som
São assim
Quem tem namorada trai
Só sossegam e pensam no assunto quando algo maior acontece
Tipo um filho e tal”

Fiquei bem magoado com as palavras dela
Mas não adianta
Todos os sentimentos já nos passaram
Nenhum nos fez esquecer um ao outro
Ela com o passar d tudo e o sofrimento aprendeu a se blindar
Se isolar dos sentimentos
Queria q não o fizesse comigo
Pois eu não consigo fazer com ela
Mas no fim ela me vê como mais um
E se blinda igualmente comigo
Não tenho como culpa-la disso
Entendi onde eu estava na situação e me calei
Por volta d quarta ou quinta eu voltei a dar sinal de vida
Já encarei a frieza como natural e nem estranhei
Assumi o manto e segui o papo
Quinta a tarde dei o último sinal
E larguei
Esqueci a ideia
Sexta pela manhã tentando ocupar minha mente com outras coisas e trabalhando em coisas q não me pediram não vi as mensagens dela chegando

Páginas: 1 2 3 4 5 6

Hügo Mendigo
Casos raros II

Posso tá falando merda
Mas grande parte das pessoas com quem me relacionei seja com sentimento ou só por sexo do meio metal/som
São assim
Quem tem namorada trai
Só sossegam e pensam no assunto quando algo maior acontece
Tipo um filho e tal”

Fiquei bem magoado com as palavras dela
Mas não adianta
Todos os sentimentos já nos passaram
Nenhum nos fez esquecer um ao outro
Ela com o passar d tudo e o sofrimento aprendeu a se blindar
Se isolar dos sentimentos
Queria q não o fizesse comigo
Pois eu não consigo fazer com ela
Mas no fim ela me vê como mais um
E se blinda igualmente comigo
Não tenho como culpa-la disso
Entendi onde eu estava na situação e me calei
Por volta d quarta ou quinta eu voltei a dar sinal de vida
Já encarei a frieza como natural e nem estranhei
Assumi o manto e segui o papo
Quinta a tarde dei o último sinal
E larguei
Esqueci a ideia
Sexta pela manhã tentando ocupar minha mente com outras coisas e trabalhando em coisas q não me pediram não vi as mensagens dela chegando

Páginas: 1 2 3 4 5 6