Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Hügo Mendigo
Em 1984, ao pseudo fim da ditadura no Brasil, na cidadezinha rural de Gravataí nascia mais um Mendigo, o Hügo. Parece um clichê dizer "escrever para não enlouquecer" mas foi sim sua psicóloga que recomendou os registros turvos de sua vida. Visões urbanas e alcoolizadas, mulheres e teorias da conspiração povoam esses manuscritos virtuais, sempre assinados como Nadal Goulart. Metalúrgico, pai e um monte de outras coisas que não precisam ser ditas por que ninguem perguntou.





Casos raros II

Quando vi tinham alguns parágrafos
Ela se desculpando pelo gelo e tudo mais
Dizendo q sentia por isso mas seria melhor p todos
Eu já tinha me colocado onde devia
Apenas respondi q os currículos estavam comigo
Ela podia vir pegar quando quisesse ou pudesse
Ela avisou q viria antes das 11 da manhã como ela bem sabia do meu almoço
Peguei a embalagem com todos papéis
A esperei na portaria
Ela veio
Linda como sempre
Um short curto
Uma camiseta solta e preta com o símbolo grande do morcego no peito
Sua pele branca começa a descascar do sol q pegara ao fim do verão
Seu cabelo está longo
Liso
Laranja com uma mecha grande q sai da nuca e fica bem escura, quase negra
Lindo como poucas vezes eu tinha o visto antes
Tentei me blindar igual ela fez
Fui machão
Cara amarrada, sem mostrar os dentes ou toques
Fui pisando firme ao encontro dela
Ela trazia uma sacola plástica pequena em mãos
Me disse que era presente e me entregou
“Uns bolinhos de chocolate…. só uma prova…”
A puta desgraçada conseguiu me desconcertar na primeira frase
Forcei p não derreter e mantive a pose externa mesmo querendo pular na boca dela e fazer ela desligar a defesa e se entregar p mim d novo

Páginas: 1 2 3 4 5 6

Hügo Mendigo
Casos raros II

Quando vi tinham alguns parágrafos
Ela se desculpando pelo gelo e tudo mais
Dizendo q sentia por isso mas seria melhor p todos
Eu já tinha me colocado onde devia
Apenas respondi q os currículos estavam comigo
Ela podia vir pegar quando quisesse ou pudesse
Ela avisou q viria antes das 11 da manhã como ela bem sabia do meu almoço
Peguei a embalagem com todos papéis
A esperei na portaria
Ela veio
Linda como sempre
Um short curto
Uma camiseta solta e preta com o símbolo grande do morcego no peito
Sua pele branca começa a descascar do sol q pegara ao fim do verão
Seu cabelo está longo
Liso
Laranja com uma mecha grande q sai da nuca e fica bem escura, quase negra
Lindo como poucas vezes eu tinha o visto antes
Tentei me blindar igual ela fez
Fui machão
Cara amarrada, sem mostrar os dentes ou toques
Fui pisando firme ao encontro dela
Ela trazia uma sacola plástica pequena em mãos
Me disse que era presente e me entregou
“Uns bolinhos de chocolate…. só uma prova…”
A puta desgraçada conseguiu me desconcertar na primeira frase
Forcei p não derreter e mantive a pose externa mesmo querendo pular na boca dela e fazer ela desligar a defesa e se entregar p mim d novo

Páginas: 1 2 3 4 5 6