Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Lucas Matheus
Lucas Matheus Lima Medeiros nasceu em 17 de março de 1997, em Guarabira – PB, cidade que até hoje reside. Está finalizando as duas graduações, sendo uma em Direito pela UEPB – Campus III e outra em Sociologia pela UNIP – Polo Guarabira. Apaixonado por livros desde criança, desacreditava da possibilidade de escrever até ser convencido a tentar. Depois da publicação do seu primeiro livro: O Anjo Diabólico: A Odisseia de Lorde Taylor, o que antes parecia ser impossível vem se tornando uma energia vital. Com a publicação do primeiro livro, veio o discernimento de que para ele não há escolha exceto escrever... “A escrita liberta a alma e engradece o ser”. Lucas pretende se tornar professor universitário, e como não pode largar a escrita, escritor será até onde a vida permitir. No mais, ele é o tipo de pessoa que gosta de refletir constantemente e busca nos livros mais dúvidas para se livrar de repostas chatas sobre o mistério da vida. Costuma assistir o mesmo filme várias vezes e sempre para pra estudar tudo que for referente a Star Wars, Marvel e principalmente DC Comics. Procura escutar trilha sonoras dos filmes que mais gosta para fazer da vida um filme sem fim, mas eterno até onde possível. Quem sabe ele chega a conseguir ser professor de alguma universidade, até lá, livros a ler e a escrever estarão em andamento.





Corre!

– Não deveriam obedecer a um estranho! – por um segundo Regis conseguiu ver um ser de pele preta fosca ali de pé, bem atrás de Richard.

Regis grita: – CORRE!!! 

Faltando 1 minuto. 

Dessa vez Regis sae na frente de Richard. Ambos pedalam tão rápido que não percebem que a coisa já não está mais atrás deles. A coisa aparece como num flash, tão rápido que faz com que por impulso os garotos se joguem na mata. As bicicletas vão com tamanha velocidade que Regis fica desacordado.

*** 

De volta ao começo, os garotos estão ali no chão, começando a se erguer. O som de paços é ouvido mais uma vez. 

SHIRT, SHIRT… 

– Merda, ele tá voltando. Vamos sair daqui! – Regis está desesperado.

– AI! – grita Richard.

Nesse momento Regis percebe que o seu amigo quebrou a perna, o osso da canela do garoto está quebrado bem no meio. Parecia uma vassoura quebrada. Regis olha para os lados, acha uma pedra e a segura. 

– O que você vai fazer? – pergunta Richard ao amigo que parece está tendo um momento de coragem.

– Fica calado! – agora uma lágrima desse dos seus olhos.

Os dois estão a se tremer de medo. Até que nada mais é audível, nem mesmo o som dos carros passando pela pista. 

– Toma essa pedra! – diz Regiz para Richard. 

– O que você vai… – ele não consegue terminar a frase com a dor que o faz se mijar – ai, que dor! 

– Vou pedir ajuda! Fica aí! Vou contar até três! E se a coisa aparecer, você vai jogar essa pedra como se fosse na cara de Zezinho.

– Zezinho? Sério? 

– Cala a boca! Entendeu? Vai fazer isso!

SHIRT, SHIRT. 

Ambos ficam paralisados. Mas Richard começa a contar com os dedos, Regis viu a atitude do amigo e conta junto.

Páginas: 1 2 3

Lucas Matheus
Corre!

– Não deveriam obedecer a um estranho! – por um segundo Regis conseguiu ver um ser de pele preta fosca ali de pé, bem atrás de Richard.

Regis grita: – CORRE!!! 

Faltando 1 minuto. 

Dessa vez Regis sae na frente de Richard. Ambos pedalam tão rápido que não percebem que a coisa já não está mais atrás deles. A coisa aparece como num flash, tão rápido que faz com que por impulso os garotos se joguem na mata. As bicicletas vão com tamanha velocidade que Regis fica desacordado.

*** 

De volta ao começo, os garotos estão ali no chão, começando a se erguer. O som de paços é ouvido mais uma vez. 

SHIRT, SHIRT… 

– Merda, ele tá voltando. Vamos sair daqui! – Regis está desesperado.

– AI! – grita Richard.

Nesse momento Regis percebe que o seu amigo quebrou a perna, o osso da canela do garoto está quebrado bem no meio. Parecia uma vassoura quebrada. Regis olha para os lados, acha uma pedra e a segura. 

– O que você vai fazer? – pergunta Richard ao amigo que parece está tendo um momento de coragem.

– Fica calado! – agora uma lágrima desse dos seus olhos.

Os dois estão a se tremer de medo. Até que nada mais é audível, nem mesmo o som dos carros passando pela pista. 

– Toma essa pedra! – diz Regiz para Richard. 

– O que você vai… – ele não consegue terminar a frase com a dor que o faz se mijar – ai, que dor! 

– Vou pedir ajuda! Fica aí! Vou contar até três! E se a coisa aparecer, você vai jogar essa pedra como se fosse na cara de Zezinho.

– Zezinho? Sério? 

– Cala a boca! Entendeu? Vai fazer isso!

SHIRT, SHIRT. 

Ambos ficam paralisados. Mas Richard começa a contar com os dedos, Regis viu a atitude do amigo e conta junto.

Páginas: 1 2 3