Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Lucas Matheus
Lucas Matheus Lima Medeiros nasceu em 17 de março de 1997, em Guarabira – PB, cidade que até hoje reside. Está finalizando as duas graduações, sendo uma em Direito pela UEPB – Campus III e outra em Sociologia pela UNIP – Polo Guarabira. Apaixonado por livros desde criança, desacreditava da possibilidade de escrever até ser convencido a tentar. Depois da publicação do seu primeiro livro: O Anjo Diabólico: A Odisseia de Lorde Taylor, o que antes parecia ser impossível vem se tornando uma energia vital. Com a publicação do primeiro livro, veio o discernimento de que para ele não há escolha exceto escrever... “A escrita liberta a alma e engradece o ser”. Lucas pretende se tornar professor universitário, e como não pode largar a escrita, escritor será até onde a vida permitir. No mais, ele é o tipo de pessoa que gosta de refletir constantemente e busca nos livros mais dúvidas para se livrar de repostas chatas sobre o mistério da vida. Costuma assistir o mesmo filme várias vezes e sempre para pra estudar tudo que for referente a Star Wars, Marvel e principalmente DC Comics. Procura escutar trilha sonoras dos filmes que mais gosta para fazer da vida um filme sem fim, mas eterno até onde possível. Quem sabe ele chega a conseguir ser professor de alguma universidade, até lá, livros a ler e a escrever estarão em andamento.





Corre!

Três, agora a mão se fecha.

Dois, se fecha mais uma vez.

Um…

O garoto corre.

ZIP… O som é tão rápido que nem dor ele sente. Mesmo assim corre, corre até sentir que o corpo está gelado e molhado. Só assim Regis percebe que sua garganta está sangrando, nota isso quando cai no chão. Uma mão passa a ficar visível ao se melar no sangue, a mão o puxa de volta para a mata, o arrastando pelo pé. O garoto se engasga com o próprio sangue. A criatura o arrasta até ficar do lado de Richard.

O menino lança a pedra, o som é abafado, e mesmo o ser enigmático sendo invisível, Richard conseguiu acertar. A pedra que o atingiu, cai no chão, e gotas de sangue a banham lentamente. 

– Eu esperei muito tempo para ser atingido… – dito isso, a criatura passou a se mostrar, seu corpo vai surgindo, revelando a pela seca e o sorriso largo, como se fosse um lagarto-homem. Nele havia escamas.

– O que é você? 

ZIP… 

A cabeça do menino voou com a brutalidade do corte. E quando estava voltando para o chão, foi atingida por algo que a fez um som abafado. A calda da criatura passava a se mostrar com o sangue que escorria da cabeça do menino que ainda piscou um pouco até ficar literalmente imóvel. Ali, a cabeça do menino era empalada pela calda da coisa que em sua ponta tinha uma lâmina. A criatura abriu a boca como a de uma serpente, e engoliu a cabeça do menino. Era quase impossível de acreditar, mas Regis viu tudo isso até não aguentar mais. Ambos foram devorados. Ali a criatura os arrastou para perto de si, e foi levando os restos mortais dos garotos consigo para debaixo da terra. Quando os meninos estavam sendo enterrados, a coisa voltou a ficar invisível. Mais uma vez, ele voltou ao seu mundo. A questão é: em quanto tempo ele voltaria a comer… 

 

Páginas: 1 2 3

Lucas Matheus
Corre!

Três, agora a mão se fecha.

Dois, se fecha mais uma vez.

Um…

O garoto corre.

ZIP… O som é tão rápido que nem dor ele sente. Mesmo assim corre, corre até sentir que o corpo está gelado e molhado. Só assim Regis percebe que sua garganta está sangrando, nota isso quando cai no chão. Uma mão passa a ficar visível ao se melar no sangue, a mão o puxa de volta para a mata, o arrastando pelo pé. O garoto se engasga com o próprio sangue. A criatura o arrasta até ficar do lado de Richard.

O menino lança a pedra, o som é abafado, e mesmo o ser enigmático sendo invisível, Richard conseguiu acertar. A pedra que o atingiu, cai no chão, e gotas de sangue a banham lentamente. 

– Eu esperei muito tempo para ser atingido… – dito isso, a criatura passou a se mostrar, seu corpo vai surgindo, revelando a pela seca e o sorriso largo, como se fosse um lagarto-homem. Nele havia escamas.

– O que é você? 

ZIP… 

A cabeça do menino voou com a brutalidade do corte. E quando estava voltando para o chão, foi atingida por algo que a fez um som abafado. A calda da criatura passava a se mostrar com o sangue que escorria da cabeça do menino que ainda piscou um pouco até ficar literalmente imóvel. Ali, a cabeça do menino era empalada pela calda da coisa que em sua ponta tinha uma lâmina. A criatura abriu a boca como a de uma serpente, e engoliu a cabeça do menino. Era quase impossível de acreditar, mas Regis viu tudo isso até não aguentar mais. Ambos foram devorados. Ali a criatura os arrastou para perto de si, e foi levando os restos mortais dos garotos consigo para debaixo da terra. Quando os meninos estavam sendo enterrados, a coisa voltou a ficar invisível. Mais uma vez, ele voltou ao seu mundo. A questão é: em quanto tempo ele voltaria a comer… 

 

Páginas: 1 2 3