Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Lucas Vitoriano
Lucas Vitoriano é formado em História pela Universidade Federal do Ceará e possui especialização em Docência no Ensino Superior. Já teve vários contos selecionados para diversas antologias e possui romances escritos, porém ainda em processo de publicação. Amante de mitologia grega, fantasia e terror, a escrita é uma constante em sua vida. Está sempre revisando um romance enquanto já escreve o próximo.







A caçada

Embora muito ágil, nem mesmo toda sua velocidade o fez alcançar a dupla de caçadores antes que Susy disparasse sua flecha. O projetil voou na direção da criatura, fincando-o em suas costelas, mas não fazendo um ferimento letal ali. A pele resistente a protegera.

— Era para ter acertado no olho Susy! — gritou Ortie avançando com a lança. Ouviu uma resposta nada educada da companheira, mas não se deu ao trabalho de responder.

Colocando-se entre Susy e o monstro, ergueu a lança no momento em que o stalcaire pulava para o ataque fatal. A lâmina perfurara na parte inferior do corpo, aonde a pele era mais mole e vulnerável. Sangue escorreu da ferida, respingando no rosto do caçador. Segurava a lança com firmeza, usando as duas mãos para tal. Era só a arma que mantinha o monstro a distância, livrando Ortie de suas garras.

O stalcaire caiu no chão, mas levantou-se logo em seguida, como se nada tivesse acontecido. Era o frenesi assassino, a capacidade que possuía de, quando enfurecido, continuar lutando ignorando seus ferimentos.

— O que está fazendo Susy?! Me ajude aqui! — gritou, mas não podia virar-se e ver o que a caçadora fazia.

Não ouviu resposta, mas também não se preocupou muito, tinha um problema muito maior, e mais feroz, tentando mata-lo naquele exato momento. O stalcaire grunhia furiosamente, movendo-se com força e selvageria.

Ortie ainda tinha alguma esperança de que pudesse matar aquele monstro, mas quando ouviu o estalar do cabo de sua lança partindo-se, percebeu que iria morrer ali. O stalcaire avançou sobre ele, mas no último momento uma flecha perfurou seu olho e a criatura soltou em seu caminho.

Páginas: 1 2 3

Lucas Vitoriano
A caçada

Embora muito ágil, nem mesmo toda sua velocidade o fez alcançar a dupla de caçadores antes que Susy disparasse sua flecha. O projetil voou na direção da criatura, fincando-o em suas costelas, mas não fazendo um ferimento letal ali. A pele resistente a protegera.

— Era para ter acertado no olho Susy! — gritou Ortie avançando com a lança. Ouviu uma resposta nada educada da companheira, mas não se deu ao trabalho de responder.

Colocando-se entre Susy e o monstro, ergueu a lança no momento em que o stalcaire pulava para o ataque fatal. A lâmina perfurara na parte inferior do corpo, aonde a pele era mais mole e vulnerável. Sangue escorreu da ferida, respingando no rosto do caçador. Segurava a lança com firmeza, usando as duas mãos para tal. Era só a arma que mantinha o monstro a distância, livrando Ortie de suas garras.

O stalcaire caiu no chão, mas levantou-se logo em seguida, como se nada tivesse acontecido. Era o frenesi assassino, a capacidade que possuía de, quando enfurecido, continuar lutando ignorando seus ferimentos.

— O que está fazendo Susy?! Me ajude aqui! — gritou, mas não podia virar-se e ver o que a caçadora fazia.

Não ouviu resposta, mas também não se preocupou muito, tinha um problema muito maior, e mais feroz, tentando mata-lo naquele exato momento. O stalcaire grunhia furiosamente, movendo-se com força e selvageria.

Ortie ainda tinha alguma esperança de que pudesse matar aquele monstro, mas quando ouviu o estalar do cabo de sua lança partindo-se, percebeu que iria morrer ali. O stalcaire avançou sobre ele, mas no último momento uma flecha perfurou seu olho e a criatura soltou em seu caminho.

Páginas: 1 2 3