Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Luís Amorim
Luís Amorim, natural de Oeiras, Portugal, escreve poesia e prosa desde 2005. Tem já escritas 1050 histórias com 50 livros de ficção publicados, entre os quais Almas, Fantasias, Flores, Terra Ausente, O Mapa, “Contos I”, “Contos II” e “Sonetos”. Tem numerosas participações em antologias literárias, revistas e jornais na Europa e Brasil.

https://www.facebook.com/luisamorimeditions







Teste para admissão

Procurou com o olhar em redor a sua companhia recente, mas tinha desaparecido a jovem de vermelho, só restando aquele sujeito como interlocutor, fazendo de pronto um convite irrecusável para entrar, pois seria a primeira com a tão curiosa qualidade, no entender dele, mostrando como prova credível um relatório inacreditavelmente extenso com todos os pecados de Malélia, sem excepções, em possuir o pleno nos ditos por os capitais, inclusive o talvez oitavo, diversas vezes esquecido, o tal que agrupava o acto de coscuvilhar, intrigas, bisbilhotice, mexericos, boatos e mentiras. Portanto, em caso algum, nunca poderia ela ficar ausente daquele espaço para onde iria aceder e onde já visualizava grandes labaredas adornando a paisagem lateral, quais paredes sem outras imagens passadas. Pensou que finalmente poderia dormir mas o tenebroso vulto ainda por ali estava, garantindo que aquela seria doravante, não apenas a sua nova mas igualmente, eterna casa.

 

Páginas: 1 2 3

Luís Amorim
Teste para admissão

Procurou com o olhar em redor a sua companhia recente, mas tinha desaparecido a jovem de vermelho, só restando aquele sujeito como interlocutor, fazendo de pronto um convite irrecusável para entrar, pois seria a primeira com a tão curiosa qualidade, no entender dele, mostrando como prova credível um relatório inacreditavelmente extenso com todos os pecados de Malélia, sem excepções, em possuir o pleno nos ditos por os capitais, inclusive o talvez oitavo, diversas vezes esquecido, o tal que agrupava o acto de coscuvilhar, intrigas, bisbilhotice, mexericos, boatos e mentiras. Portanto, em caso algum, nunca poderia ela ficar ausente daquele espaço para onde iria aceder e onde já visualizava grandes labaredas adornando a paisagem lateral, quais paredes sem outras imagens passadas. Pensou que finalmente poderia dormir mas o tenebroso vulto ainda por ali estava, garantindo que aquela seria doravante, não apenas a sua nova mas igualmente, eterna casa.

 

Páginas: 1 2 3