Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Mattüs
Mattüs – besta do submundo das antiartes e agitos psicoquímicos - é uma aberração natural de Palmeira dos Índios (AL) e habita o underground maceioense há mais de uma década. A figura surgiu na literatura através do universo dos fanzines, sendo editor do grotesco zine marginal “Spermental” (2006-2013), “O Novo Pagão”, “Histórias pra Belzebu Dormir” e colaborador dezenas de outros zines com malucos de todo o país. Em 2016, lançou “O Beco das Almas Famintas” pela Livrinho de Papel Finíssimo Editora, a obra é um romance recheado de fábulas escatológicas que deram origem à “massacrelândia tropical” em que suas histórias pútridas são ambientadas: neste livro-inferno são abertas as portas da Cidade Sereia, uma pequenina metrópole sanguinária que odeia os miseráveis e está disfarçada de Califórnia brasileira, um reino de caos, diversão e destruição persiste, tornando-se um dos temas chave na narrativa de “A Febre do Infinito” (2018), segundo romance do autor.
O monstro também é roteirista/produtor da degenerada “Scoria Filmes”, produtora filmes trash/experimentais nascida há mais de uma década e com cerca de 10 trabalhos; dentre eles, os curtas “Psychodemia” (2009), “O Panorama da Carne” (2013) e o média metragem “Surf Kaeté” (2015). Não satisfeito em destruir a dignidade da literatura e do cinema, Mattüs ainda participa do projeto antimusical “Power of The Nóia”, antibanda que carrega quase uma dezena de lançamentos recheados de insucessos.




30m²

Certo dia, resolvi imitar aquele político que apareceu num vídeo com seis lindas garotas e, devido ao meu medíocre poder aquisitivo, apenas pude convidar quatro cocotes. Elas chegaram e se embriagaram rapidinho, não tiveram nem uma dose de cerimônia com as biritas e eu senti uma grande pena por isso. Os calmantes colocados nas garrafas eram para renderem mais tempo de consciência se elas não bebessem como camelos. Sempre admirei jovens que não conheciam o significado da parcimônia e, em poucos minutos, já estavam quebrando tudo ao redor vivendo delírios postos pra fora por um empurrãozinho da garrafa.

Quase pensei em abrir as janelas por seus cigarros, mas, quando todas chegaram ensopadas e reclamando que um raio quase atingiu seu veículo, resolvi manter meu isolamento. Não queria raios dentro de casa, evito problemas com Zeus. Fico macambúzio por nunca mais ter conseguido achar uma estação de rádio, era somente o barulho da água e trovões, como se a música do The Doors tocasse para sempre em todas as estações.

Apenas posso revelar que após adormecerem, todas as convidadas foram sufocadas até atingirem o óbito. Eu sempre quebrava os pescoços para garantir eficiência. Ficava abismado porque após o estalo da espinha quebrando, o corpo parecia mais leve, como se a vida tivesse um peso físico que acabava de ser eliminado. Agora, eu tinha meu estoque alimentar renovado. Jamais confiei em carnes de frigoríficos, depois da confusão com o ácido ascórbico, aboli até a carne dos almoços pelo delivery. Depois, eu chamaria outro grupo de garotas para finalmente ter algo mais sedutor e caliente enquanto jantássemos as primeiras convidadas. Sou bom nos temperos, será engraçado ouvir elogios sobre a carne e isso reforça que preciso me centrar em desmembrar todas e preparar pelo menos uma coxa com legumes ao forno para hoje.

Páginas: 1 2 3 4 5

Mattüs
30m²

Certo dia, resolvi imitar aquele político que apareceu num vídeo com seis lindas garotas e, devido ao meu medíocre poder aquisitivo, apenas pude convidar quatro cocotes. Elas chegaram e se embriagaram rapidinho, não tiveram nem uma dose de cerimônia com as biritas e eu senti uma grande pena por isso. Os calmantes colocados nas garrafas eram para renderem mais tempo de consciência se elas não bebessem como camelos. Sempre admirei jovens que não conheciam o significado da parcimônia e, em poucos minutos, já estavam quebrando tudo ao redor vivendo delírios postos pra fora por um empurrãozinho da garrafa.

Quase pensei em abrir as janelas por seus cigarros, mas, quando todas chegaram ensopadas e reclamando que um raio quase atingiu seu veículo, resolvi manter meu isolamento. Não queria raios dentro de casa, evito problemas com Zeus. Fico macambúzio por nunca mais ter conseguido achar uma estação de rádio, era somente o barulho da água e trovões, como se a música do The Doors tocasse para sempre em todas as estações.

Apenas posso revelar que após adormecerem, todas as convidadas foram sufocadas até atingirem o óbito. Eu sempre quebrava os pescoços para garantir eficiência. Ficava abismado porque após o estalo da espinha quebrando, o corpo parecia mais leve, como se a vida tivesse um peso físico que acabava de ser eliminado. Agora, eu tinha meu estoque alimentar renovado. Jamais confiei em carnes de frigoríficos, depois da confusão com o ácido ascórbico, aboli até a carne dos almoços pelo delivery. Depois, eu chamaria outro grupo de garotas para finalmente ter algo mais sedutor e caliente enquanto jantássemos as primeiras convidadas. Sou bom nos temperos, será engraçado ouvir elogios sobre a carne e isso reforça que preciso me centrar em desmembrar todas e preparar pelo menos uma coxa com legumes ao forno para hoje.

Páginas: 1 2 3 4 5