Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Miyuki Moon
Nasci cinco antes do primeiro fim do mundo existir (1995), portanto sou da geração Y. Minha paixão inicialmente foi por poesias sombrias quando tive minha primeira paixão não correspondida, desde então não parei de escrever. Com uma cuia de chimarrão e meu animalzinho gato companheiro inseparável, escrevo sobre vários gêneros, mas sempre usando minha imaginação, algumas vezes doentia. Além de escritora amadora também desenho usando geralmente inspirações do querido “Príncipe do Isopor”. Atualmente sou estudante de moda, louca por estamparia, pois também é onde posso pirar minhas ideias.
E-mail: ja.araujo.1995@gmail.com
Site: miyukimoonmodarte.wixsite.com/modarte
Blog: miyukimoon.wordpress.com
Instagram: instagram.com/Miyuki.Moon
Facebook: https://www.facebook.com/miyuki.moon




Naomi

Naomi era dedicada e aprendia rápido atraindo o interesse de seu mestre, criando entre eles um vinculo sentimental muito forte, e um dia seus lábios se tocaram, florescendo a paixão e fazendo com que a virgindade da moça fosse arrancada de uma forma delicada, numa noite escura e chuvosa.

Quando completou 20 anos, já dominava toda a ciência que Doratello havia lhe ensinado, então chegara a hora de voltar para sua cidade, para ajudar seu povo de e colocar em prática todo o conhecimento adquirido, com a promessa de retorno para seu amado em alguns anos.

Chegando a sua cidade natal construiu uma cabana. Utilizava vidros cilíndricos, e compridos para armazenar remédios feitos com algumas ervas naturais misturadas, criando antídotos para as enfermidades de seu povo.

Toda a população começou a frequentar sua cabana em busca de antídotos para os enfermos, consequentemente a Igreja Católica perceber a diminuição gradativamente de seu fieis.

O Bispo com medo de perder ainda mais os fiéis de sua igreja e principalmente o dinheiro do dízimo, mandou alguns de seus guardas pessoais vasculharem e pesquisar o que estava acontecendo. A população comentava as curas, Noami estava muito conhecida, todos sabiam dela e onde ela morava e não demorou muito para chegar aos ouvidos do Bispo.

O Bispo ficou irado, argumentou e espalhou para a população que ela era uma bruxa, que trabalhava para o Diabo, e por isso deveria ser castigada, torturada para confessar suas práticas de bruxaria e ser queimada viva para libertar sua alma. Seus fiéis mais próximos ajudaram a expandir essa falsa notícia à população.

E assim a notícia se espalhou e Noami foi considerada bruxa pela população ignorante, receosa e dominada pela massificadora Igreja Católica. O povo com enxadas, garfos, pás, tochas acessas, foram até a cabana da considerada bruxa acompanhadas pelo bispo que desceu de seu cavalo e adentrou na cabana onde dois grandes e fortes fiéis a seguravam enquanto o bispo olhava o ambiente, e encontrou nas prateleiras os vidros com as “poções” e ervas das mais diversas, empilhadas para secar; ela se debatia pedindo para que a soltassem, mas eles não a fizeram. Bispo chegou perto dela e puxou o manto que escondia seus cabelos, instantaneamente os olhos deles esbugalharam e carregando-a para fora, ordenou que queimasse a cabana. A população o fez prontamente, espantados pela coloração de cabelo ruivo, que para eles, revelavam que realmente ela era bruxa e deveria ser torturada e queimada viva.

Páginas: 1 2 3

Miyuki Moon
Naomi

Naomi era dedicada e aprendia rápido atraindo o interesse de seu mestre, criando entre eles um vinculo sentimental muito forte, e um dia seus lábios se tocaram, florescendo a paixão e fazendo com que a virgindade da moça fosse arrancada de uma forma delicada, numa noite escura e chuvosa.

Quando completou 20 anos, já dominava toda a ciência que Doratello havia lhe ensinado, então chegara a hora de voltar para sua cidade, para ajudar seu povo de e colocar em prática todo o conhecimento adquirido, com a promessa de retorno para seu amado em alguns anos.

Chegando a sua cidade natal construiu uma cabana. Utilizava vidros cilíndricos, e compridos para armazenar remédios feitos com algumas ervas naturais misturadas, criando antídotos para as enfermidades de seu povo.

Toda a população começou a frequentar sua cabana em busca de antídotos para os enfermos, consequentemente a Igreja Católica perceber a diminuição gradativamente de seu fieis.

O Bispo com medo de perder ainda mais os fiéis de sua igreja e principalmente o dinheiro do dízimo, mandou alguns de seus guardas pessoais vasculharem e pesquisar o que estava acontecendo. A população comentava as curas, Noami estava muito conhecida, todos sabiam dela e onde ela morava e não demorou muito para chegar aos ouvidos do Bispo.

O Bispo ficou irado, argumentou e espalhou para a população que ela era uma bruxa, que trabalhava para o Diabo, e por isso deveria ser castigada, torturada para confessar suas práticas de bruxaria e ser queimada viva para libertar sua alma. Seus fiéis mais próximos ajudaram a expandir essa falsa notícia à população.

E assim a notícia se espalhou e Noami foi considerada bruxa pela população ignorante, receosa e dominada pela massificadora Igreja Católica. O povo com enxadas, garfos, pás, tochas acessas, foram até a cabana da considerada bruxa acompanhadas pelo bispo que desceu de seu cavalo e adentrou na cabana onde dois grandes e fortes fiéis a seguravam enquanto o bispo olhava o ambiente, e encontrou nas prateleiras os vidros com as “poções” e ervas das mais diversas, empilhadas para secar; ela se debatia pedindo para que a soltassem, mas eles não a fizeram. Bispo chegou perto dela e puxou o manto que escondia seus cabelos, instantaneamente os olhos deles esbugalharam e carregando-a para fora, ordenou que queimasse a cabana. A população o fez prontamente, espantados pela coloração de cabelo ruivo, que para eles, revelavam que realmente ela era bruxa e deveria ser torturada e queimada viva.

Páginas: 1 2 3