Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Rodrigo A. Leonardi
Rodrigo A. Leonardi, fanático por literatura maldita e contos góticos. Desenhista técnico, cinéfilo. Como Músico ja fui baixista/vocalista e principal compositor da banda death grind Abuso Verbal. Colecionador de tudo que é interessante. Comecei a pegar gosto em escrever, quando li "O Capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navio", de Bukowski, em um sórdido verão de 2011. Tenho um canal no YT, onde faço entrevistas com bandas autorais e começaremos em breve a fazer documentários sobre diversos temas, sempre voltado a música pesada e a cultura alternativa.






O Luto Desnecessário

Volto para a vida sem sentido, mas ainda sim sabendo admirar as paisagens e sabendo apreciar aquela brisa limpa que tem pela manhã. Apreciar a chuva, as noites estreladas e os jardins de flores. Admirar os mais velhos contando histórias do passado com olhares ora de arrependimentos, ora de sabedoria. Acho que é a única coisa que se deve dar importância. Os sentimentos e sensações que passamos durante nossas vidas. Pessoas irão nos magoar, como nós as magoamos.

Hoje, convicto, para pensar nesse tempo de cura e vejo que foi um tempo perdido, desnecessário, porque como já disseram em algum muro pichado: Tudo depende da importância que você dá.

 

 

Páginas: 1 2

Rodrigo A. Leonardi
O Luto Desnecessário

Volto para a vida sem sentido, mas ainda sim sabendo admirar as paisagens e sabendo apreciar aquela brisa limpa que tem pela manhã. Apreciar a chuva, as noites estreladas e os jardins de flores. Admirar os mais velhos contando histórias do passado com olhares ora de arrependimentos, ora de sabedoria. Acho que é a única coisa que se deve dar importância. Os sentimentos e sensações que passamos durante nossas vidas. Pessoas irão nos magoar, como nós as magoamos.

Hoje, convicto, para pensar nesse tempo de cura e vejo que foi um tempo perdido, desnecessário, porque como já disseram em algum muro pichado: Tudo depende da importância que você dá.

 

 

Páginas: 1 2