O preço da vaidade - Tatianie Kiosia
Tatianie Kiosia
Tatianie Kiosia reside em Campinas no interior de São Paulo, tem 35 anos e é artesã e escritora, autora de contos de horror, caracterizada por um mórbido e culto refinamento singular apenas aos indivíduos cuja ironia cáustica somada à criativa imaginação culminam em textos de profundo horror. Por anos foi mantenedora e coeditora do fanzine Vampyrum Spectrum, publicação dedicada á música extrema e ocultismo que circulou ativamente pelo necrounderground brasileiro e que deverá ressurgir numa obscura aurora. É idealizadora do blog Escritos do Inferno, insano depositário de muitos de seus contos de horror e de histórias causadoras de forte repulsa, não recomendado aos indivíduos mais frágeis. Escritos do Inferno é também o título de seu primeiro livro, obra publicada de forma independente pelo Clube de Autores durante o ano de 2017 que reúne vários de seus trabalhos, alguns escritos no início da adolescência.
Hoje vive literalmente de sua arte, e nas poucas horas vagas escreve contos inspirados em sonhos estranhos, lembranças bizarras e fatos insólitos do dia a dia.
E-mail: tatianie_kiosia@hotmail.com
Facebook: facebook.com/tatianie.kiosia
Site: escritosdoinferno.wordpress.com






O preço da vaidade

– Glória! Aleluia! O senhor te curou!

Dito isso, elas saíram e apagaram a luz. Ariela percebeu que ficaria ali até ter condições de se levantar e caminhar sozinha, ou seja, naquela situação o mais provável era ficar ali até a morte misericordiosa chegar. Haviam algumas velas iluminando o local, e com o passar do tempo e sua vista foi melhorando, ela pode perceber que, ao contrário da pintura de céu azul com nuvenzinhas brancas que haviam pintadas na igreja, ali a pintura era toda vermelha, com chamas e diabos com falos enormes pintados. Aquele local infernal parecia ser uma espécie de anexo da igreja, ela só não sabia precisar aonde.

Após um tempo, sem comer e sem beber, fraca e desidratada, Obadias veio lhe visitar.

– Vim dar-lhe a benção final…

Com o assustador cajado ungido, ele violou-a novamente, estourando todos os pontos que já começavam a infeccionar. Dessa vez ela não teve forças para gritar. Em meio ás pinturas infernais e dores atrozes, Ariela não agüentou tamanha violência, e faleceu. O cajado, recoberto de sangue e pus foi retirado. O sacrifício de um cordeiro ensangüentado, realizado!

FIM.

 

Páginas: 1 2 3 4 5

Tatianie Kiosia
O preço da vaidade

– Glória! Aleluia! O senhor te curou!

Dito isso, elas saíram e apagaram a luz. Ariela percebeu que ficaria ali até ter condições de se levantar e caminhar sozinha, ou seja, naquela situação o mais provável era ficar ali até a morte misericordiosa chegar. Haviam algumas velas iluminando o local, e com o passar do tempo e sua vista foi melhorando, ela pode perceber que, ao contrário da pintura de céu azul com nuvenzinhas brancas que haviam pintadas na igreja, ali a pintura era toda vermelha, com chamas e diabos com falos enormes pintados. Aquele local infernal parecia ser uma espécie de anexo da igreja, ela só não sabia precisar aonde.

Após um tempo, sem comer e sem beber, fraca e desidratada, Obadias veio lhe visitar.

– Vim dar-lhe a benção final…

Com o assustador cajado ungido, ele violou-a novamente, estourando todos os pontos que já começavam a infeccionar. Dessa vez ela não teve forças para gritar. Em meio ás pinturas infernais e dores atrozes, Ariela não agüentou tamanha violência, e faleceu. O cajado, recoberto de sangue e pus foi retirado. O sacrifício de um cordeiro ensangüentado, realizado!

FIM.

 

Páginas: 1 2 3 4 5