Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
William Fontana
Pseudônimo de Gerson M.A. fotógrafo, contista, novelista, ensaísta, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com dupla excepcionalidade, superdotado (Qi 163) e cristão, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais 35 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil, Revista Literomancia, nas antologias Arte do Terror, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018) e 'Império de Tendor' (2019) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 30 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).






DO ALÉM

Quando após dias o dr.Dimitri Solokov despertou de seu fatídico sono parecia alternar os estados esporádicos de lucidez com delírios que o intercalavam ao mencionar histórias ancestrais nos dialetos sumários e babilônios. Quando finalmente trouxeram tradutores hábeis não somente gravações sinistras eram traduzidas. O intrigante era o fato sinistro de que Solokov predizia tal dialeto ao contrário como nos lendários backsmashing do mundo da música o que dificultou sua identificação e interpretação imediata. Todavia enquanto alguns estudantes acompanhavam a evolução do quadro médico e psiquiátrico do dr.Solokov outros acadêmicos acionaram geólogos, astrônomos e físicos afim de sanar o enigma que fora desvelado. Quando amostras da pedra fora tirada, análises laboratoriais feitas e experimentos no sítio em questão realizados, Anelise Conrad levou de bom grado fitas que compilavam os estudos afim de serem analisadas pelo acamado doutor. O homem estava pálido, havia emagrecido, tinha perda de cabelo e demonstrava todos sinais de contaminação de radiação, mas ainda assim não negava um luminoso sorriso a jovem estudante ao adentrar seu quarto.

— Tenho certeza que o senhor irá melhorar, doutor. Trouxe uma surpresa que certamente irá saciar seu apetite intelectual por uma semana.

— Bom vê-la minha jovem. — comentou ele entre uma tossida e outra enquanto tubos adentravam seu nariz. — lamentavelmente minha condição não tem precedentes na medicina, pois curiosamente o que parece me matar ao menos tempo parece reverter o tempo de vida de minhas células.

— Por isso creio que isso lhe será de interesse. As propriedades daquela pedra excedem em tudo o nosso conhecimento do universo. Quando as traduções de seu estupor sonambólico terão finalizadas as traduções?

— Muita coisa está pronta.— Comentou ele em devolutiva a jovem entusiasmada, colocando a fita num vídeo VHS.

Logo que a tevê fora ligada imagens trepidadas deram lugar a um físico de traje contra radiação diante da pedra. O homem pegou uma bolinha e posicionou uma pequena rampa diante da pedra quando então interrompeu o silêncio e comentou.

— Findada a coleta de amostras seguiremos agora com experimentos no sítio que demonstrem o caráter excepcional da pedra de material exótico desconhecido.

O homem então pós a bolinha no começo da rampa e a soltou levando ela a subir a rampa ao invés de descer pela gravidade. A bola então não somente rompeu a gravidade oriunda como aumentou a velocidade e bateu com força na pedra. O homem então impressionado virou para a câmera e disse.

— Como observamos as propriedades do material exótico parece apresentar tamanha densidade que parece ser capaz de junto a algum outro efeito de radiação produzir seu próprio campo gravitacional levando a bola a literalmente “cair pra cima”.

Páginas: 1 2 3 4

William Fontana
DO ALÉM

Quando após dias o dr.Dimitri Solokov despertou de seu fatídico sono parecia alternar os estados esporádicos de lucidez com delírios que o intercalavam ao mencionar histórias ancestrais nos dialetos sumários e babilônios. Quando finalmente trouxeram tradutores hábeis não somente gravações sinistras eram traduzidas. O intrigante era o fato sinistro de que Solokov predizia tal dialeto ao contrário como nos lendários backsmashing do mundo da música o que dificultou sua identificação e interpretação imediata. Todavia enquanto alguns estudantes acompanhavam a evolução do quadro médico e psiquiátrico do dr.Solokov outros acadêmicos acionaram geólogos, astrônomos e físicos afim de sanar o enigma que fora desvelado. Quando amostras da pedra fora tirada, análises laboratoriais feitas e experimentos no sítio em questão realizados, Anelise Conrad levou de bom grado fitas que compilavam os estudos afim de serem analisadas pelo acamado doutor. O homem estava pálido, havia emagrecido, tinha perda de cabelo e demonstrava todos sinais de contaminação de radiação, mas ainda assim não negava um luminoso sorriso a jovem estudante ao adentrar seu quarto.

— Tenho certeza que o senhor irá melhorar, doutor. Trouxe uma surpresa que certamente irá saciar seu apetite intelectual por uma semana.

— Bom vê-la minha jovem. — comentou ele entre uma tossida e outra enquanto tubos adentravam seu nariz. — lamentavelmente minha condição não tem precedentes na medicina, pois curiosamente o que parece me matar ao menos tempo parece reverter o tempo de vida de minhas células.

— Por isso creio que isso lhe será de interesse. As propriedades daquela pedra excedem em tudo o nosso conhecimento do universo. Quando as traduções de seu estupor sonambólico terão finalizadas as traduções?

— Muita coisa está pronta.— Comentou ele em devolutiva a jovem entusiasmada, colocando a fita num vídeo VHS.

Logo que a tevê fora ligada imagens trepidadas deram lugar a um físico de traje contra radiação diante da pedra. O homem pegou uma bolinha e posicionou uma pequena rampa diante da pedra quando então interrompeu o silêncio e comentou.

— Findada a coleta de amostras seguiremos agora com experimentos no sítio que demonstrem o caráter excepcional da pedra de material exótico desconhecido.

O homem então pós a bolinha no começo da rampa e a soltou levando ela a subir a rampa ao invés de descer pela gravidade. A bola então não somente rompeu a gravidade oriunda como aumentou a velocidade e bateu com força na pedra. O homem então impressionado virou para a câmera e disse.

— Como observamos as propriedades do material exótico parece apresentar tamanha densidade que parece ser capaz de junto a algum outro efeito de radiação produzir seu próprio campo gravitacional levando a bola a literalmente “cair pra cima”.

Páginas: 1 2 3 4