Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
William Fontana
Pseudônimo de Gerson M.A. fotógrafo, contista, novelista, ensaísta, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com dupla excepcionalidade, superdotado (Qi 163) e cristão, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais 35 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil, Revista Literomancia, nas antologias Arte do Terror, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018) e 'Império de Tendor' (2019) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 30 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).






DO ALÉM

A câmera então fechou o zoom ao redor da pedra e fitou de perto traços fractoides de cristais que cresciam ao seu redor.

— Como observamos o crescimento atípico de cristais não somente excedem a um curto período antinatural de formação como seguem uma ordem esporádica de tempos remetendo a fractais. Ao analisarmos as propriedades laboratoriais constatamos o impossível, as propriedades desse material possuem um comportamento análogo aos cristais de tempo, porém, com manifestações de efeitos quânticos macros reversivos a entropia. A conclusão óbvia é que esse material nunca poderia ter surgido ante as leis físicas de nosso universo. De modo similar desconhecemos quaisquer habilidades de recriar essa matéria exótica laboratorialmente e muito menos somos capazes de datar uma idade aproximada pela mesma razão.

Logo a imagem cortou para um laboratório onde uma física parecia debruçar-se sobre um microscópio atômico dando lugar a imagens digitais seguidas da data do vídeo, 15 de agosto de 2008.

— Como observamos o material exótico coletado no sítio apresenta uma capacidade de reversão entrópica o que pode ter implicações no impossível ato de conservar energia radioativa por tantos séculos por ser proibitivo a lei de conservação da termodinâmica. Ainda que não associada ao tempo oriundo a matéria adjacente parte de uma taxa de desordenação para maior ordenação que acrescida ao volume total do material no sítio apresenta uma peculiar capacidade de influência quantificadora sobre a randômica, em suma, capaz de influenciar eventos próximos. Basicamente dizemos um absurdo físico de que o material exótico irradia diretamente no caos, ou seja, parece ser capaz de influir em toda matéria w energia ao seu redor gerando em organismos biológicos mutações direcionadas.

A imagem então deu lugar a pequenos insetos, anfíbios e répteis expostos a radiação do sítio, sendo analisados da fisiologia ao sangue. Houveram uma série de observações que exasperavam o mais incrédulo.

— Como vemos esse pequeno sapo parecia ter elementos análogos a mutação evolutiva capazes de anteceder a si mesmo como algo direcionado e apenas antes presenciado em efeitos quânticos. Várias cobaias morreram, mas dentre os positivos houveram mesmo casos de rejuvenescimento e outros a espécie parecem rapidamente declinar a alterações físicas funcionais, ou seja, competentes apenas ao conceito evolucionário.

A fita terminou tendo um corte abrupto deixando o doutor com olhos mareados ante o achado. A pedra sobretudo parecia influenciar aspectos de informações inerente ao próprio genoma e alterava até mesmo materiais minerais a nível molecular. Mas a curta introspecção do doutor fora interrompida pela mestra Anelise.

Páginas: 1 2 3 4

William Fontana
DO ALÉM

A câmera então fechou o zoom ao redor da pedra e fitou de perto traços fractoides de cristais que cresciam ao seu redor.

— Como observamos o crescimento atípico de cristais não somente excedem a um curto período antinatural de formação como seguem uma ordem esporádica de tempos remetendo a fractais. Ao analisarmos as propriedades laboratoriais constatamos o impossível, as propriedades desse material possuem um comportamento análogo aos cristais de tempo, porém, com manifestações de efeitos quânticos macros reversivos a entropia. A conclusão óbvia é que esse material nunca poderia ter surgido ante as leis físicas de nosso universo. De modo similar desconhecemos quaisquer habilidades de recriar essa matéria exótica laboratorialmente e muito menos somos capazes de datar uma idade aproximada pela mesma razão.

Logo a imagem cortou para um laboratório onde uma física parecia debruçar-se sobre um microscópio atômico dando lugar a imagens digitais seguidas da data do vídeo, 15 de agosto de 2008.

— Como observamos o material exótico coletado no sítio apresenta uma capacidade de reversão entrópica o que pode ter implicações no impossível ato de conservar energia radioativa por tantos séculos por ser proibitivo a lei de conservação da termodinâmica. Ainda que não associada ao tempo oriundo a matéria adjacente parte de uma taxa de desordenação para maior ordenação que acrescida ao volume total do material no sítio apresenta uma peculiar capacidade de influência quantificadora sobre a randômica, em suma, capaz de influenciar eventos próximos. Basicamente dizemos um absurdo físico de que o material exótico irradia diretamente no caos, ou seja, parece ser capaz de influir em toda matéria w energia ao seu redor gerando em organismos biológicos mutações direcionadas.

A imagem então deu lugar a pequenos insetos, anfíbios e répteis expostos a radiação do sítio, sendo analisados da fisiologia ao sangue. Houveram uma série de observações que exasperavam o mais incrédulo.

— Como vemos esse pequeno sapo parecia ter elementos análogos a mutação evolutiva capazes de anteceder a si mesmo como algo direcionado e apenas antes presenciado em efeitos quânticos. Várias cobaias morreram, mas dentre os positivos houveram mesmo casos de rejuvenescimento e outros a espécie parecem rapidamente declinar a alterações físicas funcionais, ou seja, competentes apenas ao conceito evolucionário.

A fita terminou tendo um corte abrupto deixando o doutor com olhos mareados ante o achado. A pedra sobretudo parecia influenciar aspectos de informações inerente ao próprio genoma e alterava até mesmo materiais minerais a nível molecular. Mas a curta introspecção do doutor fora interrompida pela mestra Anelise.

Páginas: 1 2 3 4