Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
William Fontana
Pseudônimo de Gerson M.A. fotógrafo, contista, novelista, ensaísta, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com dupla excepcionalidade, superdotado (Qi 163) e cristão, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais 35 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil, Revista Literomancia, nas antologias Arte do Terror, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018) e 'Império de Tendor' (2019) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 30 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).






Sem Origem

        Imediatamente avisei aos supervisores para não desenvolver a tecnologia e muito menos envia-la no tempo, de modo que a perturbadora resposta fora o silêncio. Tentei explicar explicitamente os detalhes considerados implausíveis, mas que ante a inequívoca contaminação de meu corpo com aquele patógeno desconhecido levou-me a uma postura de suspeita mesmo sobre meu pensamento e isolado sob suspeitas, ainda que tivesse efetuado contato direito com outros membros da equipe.

        Ao terminar de ler todos os relatos, num último esforço desesperado lancei o artefato ao chão na tentativa de quebra-lo e portando um longo cano de ferro em mãos o espatifei levando a soar o alarme, pois era monitorado. Sem pestanejar homens portando trajes especiais adentraram o lugar e me seguraram. Meu nariz sangrou ao pensar que escorria mera secreção de modo que estava efetivamente numa quarentena tardia, pois o vírus havia escapado por outros membros da equipe assim como da aldeia onde caíra originalmente.

        Aquilo gradualmente afetava minha mente que por exames contínuos e dos mais variados percebeu-se se tratar do fato de que minhas células estavam gradualmente sendo modificadas em seu genoma sendo assim, substituídas por um novo material orgânico, tal como em meus neurônios levando a equipe considerar meus relatos mera alucinação. Mas minhas memórias eram claras e não possuía dúvidas do que acontecia a meu redor, ainda que gradativamente meu pensamento se alternasse a compreensões que evisceravam dimensões extras em similaridade com aquela máquina agora em frangalhos. Mas uma vez conhecendo eu o conteúdo do artefato poderia prever então os próximos conhecimentos…

        No ano de 2019 os dados por mim traduzidos sobre o funcionamento da tecnologia serão replicados em laboratório fomentando anos de progresso a frente de seu tempo o que soa como uma ironia. Porém, a pandemia começa a se espalhar ao não ser detida em membros da equipe como Quin Gon Chiang e moradores da aldeia.

        Alegadamente pelo meu quadro de contaminação era motivo para alegar insanidade; meu corpo tornar-se-ia gradualmente gelatinoso e após um longo período de latência os ossos se tornarão cartilagens flexíveis e meu cérebro uma espécie neural que abrangia a partir da espinha dorsal todo meu corpo alterando a base do meu organismo a um tipo de corpo que se utilizava ao invés do carbono, usa-se o silício. Ou seja, me tornarei uma forma de vida inteiramente nova capaz de estabelecer vínculos com as máquinas.

        No ano de 2021 uma série nova de computadores será lançada, baseados na tecnologia agora de patente chinesa os colocando na dianteira da informática no mundo. Porém, a contaminação global se tornou um problema de todas as nações levando a morte de centenas de milhares de pessoas que padeceram ao não conseguir alcançar o nível de modificação corporal que sofri.

Páginas: 1 2 3 4 5 6

William Fontana
Sem Origem

        Imediatamente avisei aos supervisores para não desenvolver a tecnologia e muito menos envia-la no tempo, de modo que a perturbadora resposta fora o silêncio. Tentei explicar explicitamente os detalhes considerados implausíveis, mas que ante a inequívoca contaminação de meu corpo com aquele patógeno desconhecido levou-me a uma postura de suspeita mesmo sobre meu pensamento e isolado sob suspeitas, ainda que tivesse efetuado contato direito com outros membros da equipe.

        Ao terminar de ler todos os relatos, num último esforço desesperado lancei o artefato ao chão na tentativa de quebra-lo e portando um longo cano de ferro em mãos o espatifei levando a soar o alarme, pois era monitorado. Sem pestanejar homens portando trajes especiais adentraram o lugar e me seguraram. Meu nariz sangrou ao pensar que escorria mera secreção de modo que estava efetivamente numa quarentena tardia, pois o vírus havia escapado por outros membros da equipe assim como da aldeia onde caíra originalmente.

        Aquilo gradualmente afetava minha mente que por exames contínuos e dos mais variados percebeu-se se tratar do fato de que minhas células estavam gradualmente sendo modificadas em seu genoma sendo assim, substituídas por um novo material orgânico, tal como em meus neurônios levando a equipe considerar meus relatos mera alucinação. Mas minhas memórias eram claras e não possuía dúvidas do que acontecia a meu redor, ainda que gradativamente meu pensamento se alternasse a compreensões que evisceravam dimensões extras em similaridade com aquela máquina agora em frangalhos. Mas uma vez conhecendo eu o conteúdo do artefato poderia prever então os próximos conhecimentos…

        No ano de 2019 os dados por mim traduzidos sobre o funcionamento da tecnologia serão replicados em laboratório fomentando anos de progresso a frente de seu tempo o que soa como uma ironia. Porém, a pandemia começa a se espalhar ao não ser detida em membros da equipe como Quin Gon Chiang e moradores da aldeia.

        Alegadamente pelo meu quadro de contaminação era motivo para alegar insanidade; meu corpo tornar-se-ia gradualmente gelatinoso e após um longo período de latência os ossos se tornarão cartilagens flexíveis e meu cérebro uma espécie neural que abrangia a partir da espinha dorsal todo meu corpo alterando a base do meu organismo a um tipo de corpo que se utilizava ao invés do carbono, usa-se o silício. Ou seja, me tornarei uma forma de vida inteiramente nova capaz de estabelecer vínculos com as máquinas.

        No ano de 2021 uma série nova de computadores será lançada, baseados na tecnologia agora de patente chinesa os colocando na dianteira da informática no mundo. Porém, a contaminação global se tornou um problema de todas as nações levando a morte de centenas de milhares de pessoas que padeceram ao não conseguir alcançar o nível de modificação corporal que sofri.

Páginas: 1 2 3 4 5 6